Notícia

UOL

Mais premiado pesquisador do câncer no Brasil, Ricardo Brentani morre aos 74 anos

Publicado em 30 novembro 2011

Do UOL Ciência e Saúde*

O cientista e professor Ricardo Renzo Brentani, 74 anos, morreu na noite desta terça-feira (29). Com mais de 300 trabalhos publicados em periódicos de alto impacto ao redor do mundo, dentre eles Nature e Science, é o mais premiado pesquisador sobre oncologia do país e um expoente da ciência mundial.

Presidente da Fundação Antônio Prudente, mantenedora do Hospital A.C.Camargo, em São Paulo, Brentani exercia também os cargos de diretor-presidente do Conselho da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo). Professor Emérito pela Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), criou em 1980 a Cadeira de Oncologia, que dirigiu até 2007.

Nascido em Trieste, na Itália, naturalizado brasileiro, Brentani deixa a esposa e também cientista, Maria Mitzi Brentani, quatro filhos e dez netos. Cursou o secundário no Instituto Mackenzie de 1949 a 1955. Graduou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo em 1962, doutorou-se em 1966 pelo Departamento de Química Fisiológica e Físicoquímica da Faculdade de Medicina da USP.

Genoma do Câncer

Durante duas décadas, a partir de 1983, dirigiu o Instituto Ludwig de Pesquisa sobre o Câncer de São Paulo, então localizado no A.C.Camargo. Brentani liderou a partir de 1999 um grupo multicêntrico de pesquisadores brasileiros no Projeto Genoma do Câncer Humano. O Brasil foi o segundo país, depois dos Estados Unidos, com melhores resultados no sequenciamento do genoma do câncer.

Assumiu a direção da Fundação Antônio Prudente/Hospital A.C.Camargo em 1990 a convite do então empresário José Ermírio de Moraes Filho, a quem substituiu no comando da instituição.

Brentani foi um dos responsáveis por sustentar o hospital como principal centro da América Latina em ensino, pesquisa e tratamento de câncer, criando o mais bem avaliado programa de pós-gradução em oncologia do país segundo as avaliações da Capes/MEC na ultima década.

Em agosto, Brentani foi agraciado com o Prêmio Octavio Frias de Oliveira, na categoria "Personalidade de Destaque". Promovido pelo Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), em parceria com o Grupo Folha, o prêmio tem o objetivo de reconhecer a produção de conhecimento na prevenção e combate ao câncer.

"Se tenho algum mérito que justifique minha indicação para o prêmio, preciso dividi-lo com minha mulher, Maria Mitzi Brentani, com Isaias Raw, que me ensinou a gostar de estudar e crescer, e com um número enorme de jovens que acreditou em mim ao longo da minha carreira", disse Brentani ao receber o prêmio.

O corpo de Ricardo Renzo Brentani será velado no Auditório Senador José Ermírio de Moraes no Hospital A.C.Camargo, localizado na Rua Tamandaré, 766, na Liberdade. O sepultamento ocorre às 12h30 no Cemitério do Morumbi.

* Com informações da Agência Fapesp