Notícia

Gestão C&T

Maioria dos Estados não possui indicadores de C&T, avalia assessor do MCT

Publicado em 17 setembro 2007

O assessor da Coordenação Geral de Indicadores do MCT, Eduardo Viotti, disse, durante a 1ª Oficina de Informações em CT&I do Estado da Bahia, que muitos Estados não possuem indicadores para avaliar a área de C&T.

"Temos dificuldades na maioria dos Estados por conta de eles não possuírem sequer uma equipe de trabalho para calcular e analisar os indicadores de CT&I", afirmou Viotti, em notícia divulgada pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado da Bahia (Secti).

Segundo Viotti, o MCT vem trabalhando com uma metodologia específica que permite às unidades da Federação calcularem os investimentos públicos na área de C&T. De acordo com informações da Secti, essa metodologia permite, inclusive, a comparação de dados com outros internacionais.

Viotti disse ainda que a Bahia usa esta metodologia para a análise dos investimentos e que o ministério está fazendo um esforço para que outros Estados também utilizem a ferramenta.


Oficina

A primeira edição da Oficina de Informações em CT&I do Estado da Bahia aconteceu em Salvador, no dia 14. Ainda de acordo com a Secti, participaram do encontro a diretora geral da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb), Dora Leal; o diretor de pesquisas da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), José Ribeiro Guimarães; a assessora do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), Regina Gusmão; e a analista de indicadores da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Milena Yumi.

Tanto a Secti quanto a Fabesp são instituições associadas à ABIPTI. Informações complementares sobre as ações desenvolvidas pela secretaria podem ser obtidas neste site www.secti.ba.gov.br.