Notícia

Meio Filtrante online

Magnamed assinou contrato com o Ministério da Saúde para fornecer 6,5 mil ventiladores pulmonares até agosto de 2020

Publicado em 15 abril 2020

Por Portal do Governo de SP

A empresa paulista Magnamed assinou, na última quarta-feira (8), um contrato com o Ministério da Saúde para fornecer 6,5 mil ventiladores pulmonares até agosto de 2020. O acordo busca atender o aumento da demanda dos hospitais no Brasil pelo equipamento, essencial ao tratamento de pacientes com COVID-19 (doença causada pelo novo coronavírus) em estado grave.

Para atingir essa meta, a empresa contará com parcerias com um grupo de empresas, composto pela Positivo, Suzano, Klabin, Embraer, Flextronics, Fiat Chrysler e White Martins. “Sentimo-nos honrados em poder ajudar o País nesse momento. Isso só será possível graças às parcerias”, disse em nota à imprensa Wataru Ueda, CEO da Magnamed.

O ventilador pulmonar de emergência, batizado de OxyMag, foi desenvolvido com apoio do Programa Fapesp Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (Pipe), entre 2006 e 2012, iniciativa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.

“A Magnamed ilustra os benefícios para a sociedade de se ter em São Paulo o ITA [Instituto Tecnológico de Aeronáutica], a USP [Universidade de São Paulo], o Cietec [Centro de Inovação, Empreendedorismo e Tecnologia] e a Fapesp”, afirmou Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da Fundação, em entrevista à Agência Fapesp.

“Formar engenheiros nos melhores referenciais mundiais dá retorno social, apoiar pesquisa excelente dá retorno social e estimular pequenas empresas de base tecnológica dá retorno social. O estoque de capacitação tecnológica em São Paulo está se mobilizando de forma exemplar para contribuir no enfrentamento da crise pandêmica”, acrescentou o diretor científico.

Parceria

A Positivo será responsável pelo fornecimento de placas para os ventiladores pulmonares. Já a Suzano auxiliará em questões de engenharia e na procura por fornecedores globais de insumos, além de prover capital de giro para a aquisição de componentes.

A Klabin, por sua vez, ficará responsável pela gestão de compras e importação dos componentes para a montagem dos ventiladores, além de fornecer as embalagens para o transporte dos aparelhos até os hospitais.

A Embraer, em conjunto com sete empresas da indústria aeronáutica no Brasil, buscará encontrar a melhor solução para aumentar a capacidade de produção. A experiência desse grupo de empresas em usinagem complexa permitirá produzir 5 mil componentes para os ventiladores até o fim de abril, estima a Magnamed.

Para a montagem dos ventiladores pulmonares, a Flextronics recebeu autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para criar uma linha de produção em sua fábrica em Sorocaba, no interior de São Paulo.

A Fiat Chrysler apoiará na identificação e eliminação de gargalos produtivos e no rastreamento de linhas de financiamento para a ampliação da capacidade de produção, e a White Martins será responsável pelo fornecimento de oxigênio para a fabricação e testes dos respiradores, além do projeto de engenharia e infraestrutura completa para o consumo do gás.

Apoio

A Magnamed fabrica anualmente 1,8 mil ventiladores, dos quais 40% são utilizados em unidades de terapia intensiva (UTIs). O ventilador pulmonar de emergência, desenvolvido com o apoio do programa Pipe-Fapesp, foi o pontapé para a transformação da empresa de startup, que começou em uma garagem, a empresa exportadora para mais de 60 países, de onde obtém 40% de sua receita, com fábrica própria nos Estados Unidos.

“O apoio da Fapesp foi extremamente importante na fase embrionária, quando éramos só empreendedores com muito know-how, mas sem os recursos necessários para todo o ciclo de desenvolvimento do produto”, disse Ueda em entrevista ao Pesquisa para Inovação, em abril de 2017.

A empresa foi fundada em 2005, quando Ueda e os também engenheiros Tatsuo Suzuki e Toru Kinjo decidiram sair de seus empregos em uma empresa de equipamentos médicos para inovar.

De acordo com o relatório “2020 Global ICU Ventilator Market Outlook”, a Magnamed é atualmente uma das principais fabricantes mundiais de ventiladores pulmonares, ao lado de empresas como a Medtronic, Philips e a GE.