Notícia

Brasil Econômico

Luminosidade sob controle com uma pastilha

Publicado em 09 fevereiro 2010

Microempresário usa conhecimento acumulado em 20 anos de multinacional para criar produto que dispensa o uso de fios."Esse será o nosso último ano como empresa incubada. Então precisamos virar o jogo", afirma o microempresário Waldomiro José Fernandes. Sua empresa, a Versax, produz um dímer (controlador de intensidade de luz) que tem como principal inovação a simplicidade. Para instalar o produto, hoje patenteado, não é necessário quebrar paredes ou cortar fios elétricos. Basta colocar o dímer, que possui o formato de uma pastilha e contém um processador, no fundo do soquete da lâmpada. Após o procedimento, cada vez que o interruptor é acionado, a luminosidade se modifica, variando de100%a 5%.

A Versax, que ocupa 80m2 da Incubadora de Empresas de São Bernardo do Campo (IESBeC) desde o começo de 2008, foi uma das contempladas com recursos do programa Primeira Empresa Inovadora (Prime), da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). No total, a empresa de Fernandes receberá R$ 120 mil, em duas parcelas. Uma delas foi liberada em dezembro.

Com esse valor, Fernandes contratou um gestor, uma consultoria de marketing e uma fornecedores de software de gestão. O reforço ajudará a organizar a empresa para que ela possa, entre outras coisas, desenvolver uma versão mais barata do controlador de luminosidade e também aumentar o ritmo de produção, que hoje é de cerca de 200 unidades por mês. "Será preciso chegar ao final do ano com fôlego suficiente para sair da incubadora e sobreviver fora dela", diz.

Troca de conhecimentos

A estada da Versax na incubadora tem sido importante não apenas pela economia financeira, mas principalmente pelo conhecimento adquirido naquele ambiente. "Hoje eu sei onde buscar dinheiro e ajuda. Nunca havia ouvido falar em Finep, Fapesp [Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo] e CNPq [Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico]. Sei hoje que, para lançar novos produtos, não preciso necessariamente colocar dinheiro próprio no momento da pesquisa. Existem linhas de créditos com juros baixos e recursos que podem impulsionar o negócio de uma forma muito tranquila", diz.

O primeiro semestre de 2008 foi ruim para a empresa, principalmente por causa de problemas com a fabricação do primeiro lote de controladores. Foi na segunda metade daquele ano que as vendas melhoraram. Com as dificuldades, o engenheiro percebeu que, para ganhar volume, seria necessário oferecer o produto a redes e não somente a lojas únicas. Só assim seria possível investir em ferramentas de marketing para divulgar o produto nos pontos de venda sem que a margem de lucro sumisse.

No final daquele ano, a Versax já negociava com redes como Tok&Stok e Center Castilho. "Em abril de 2009, a coisa começou a decolar. A poeira da crise abaixou e a Tok&Stok fez seu o primeiro pedido. Também conseguimos finalizar a negociação com o Center Castilho", afirma. Com isso, a empresa desenvolveu um mostruário maior e mais informativo, no qual o consumidor pode interagir com o produto. Hoje, a Versax possui cerca de 30 clientes.

Avanço

A percepção de que era necessário chamar a atenção dos consumidores para o produto fez Fernandes ter outra ideia: produzir luminárias. O primeiro modelo é para o público infantil e possui dímer incorporado. São seis desenhos diferentes, mas todos têm uma lâmpada principal, ao redor da qual há uma borda decorativa com lâmpadas pequeninas. "Estamos unindo três produtos já conhecidos do mercado em umsó: luminária, dímer e luz noturna", afirma. "A intenção era impulsionar as vendas do controlador. Fizemos os primeiros contatos comerciais por causa desse produto entre o final do ano passado e o início deste. Acho que como tempo essas luminárias serão o nosso carro-chefe", diz. "Mas o dímer funcionará como chave para abrir a porta das grandes empresas, pois elas gostam de novidade e inovação", completa.