Notícia

Vale Paraibano

Lobato na rede

Publicado em 08 fevereiro 2007

Por Adriano Pereira

O cartão de visita do novo site dedicado ao escritor Monteiro Lobato não poderia ser de outro jeito. "Loucura? Sonho? Tudo é loucura ou sonho no começo. Nada do que o homem fez no mundo teve início de outra maneira, mas já tantos sonhos se realizaram que não temos o direito de duvidar de nenhum".

O trecho, retirado do livro "Mundo da Lua" (1923), mostra a faceta sonhadora de um dos escritores mais influentes do século 20, que segundo a professora Marisa Lajolo, do IEL (Instituto de Estudos da Linguagem) da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), "sempre foi à luta para concretizar seus sonhos".

O novo espaço virtual (www.unicamp.br/ iel/monteirolobato) é fruto de um projeto temático sobre Monteiro Lobato e outros autores do modernismo brasileiro, realizado com apoio do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), coordenado pela professora.

No endereço estão presentes trechos de livros, documentos de trabalho, fotos de família, desenhos e pinturas em aquarela feitos por Lobato, teses, dissertações e ensaios sobre o escritor e até imagens digitalizadas de cartas enviadas por ele a amigos e a sua mulher, Maria da Pureza Natividade Gouvêa.

Todas informações saíram de documentos pessoais de propriedade da família do escritor que estavam arquivadas no Cedae (Centro de Documentação Alexandre Eulálio) do IEL.

"Nossa proposta é modificar parte da cultura arquivística brasileira de pouca divulgação on-line de documentos. Tornar disponíveis os arquivos na Internet em nada prejudica a importância dos documentos originais", diz Marisa. "Isso é importante para fortalecer a noção de memória cultural do País, permitindo que outros herdeiros de autores importantes se lembrem que também podem contribuir nesse sentido", completa.

MEMÓRIA - Outro objetivo do site, de acordo com a professora, é provocar a discussão sobre os limites dos direitos autorais de documentos que pertencem à memória nacional, de domínio público e privado.

"É comum ouvir dizer que o brasileiro não tem memória. Mas isso ocorre pela dificuldade de acesso aos documentos que marcam essa memória. Consultá-los, infelizmente, tem sido privilégio de poucos", ressalta.

Um arquivo com a árvore genealógica de Lobato e a descrição de toda a bibliografia disponível sobre o autor --o que abrange literatura infantil e adulta, obras de referência, artigos publicados em periódicos e textos em jornais e revistas-- completam a lista de assuntos do site.

"Esse amplo conteúdo abre espaço para que sejam projetadas novas pesquisas sobre Monteiro Lobato, sobre o modernismo paulista e sobre literatura infantil, de modo que o conhecimento passe a ser construído de forma mais sistemática", afirma Marisa.

LINKS - Pesquisar sobre Monteiro Lobato não é tarefa muito difícil para quem mora no Vale do Paraíba. Nossa região é rica em informações sobre o autor, e é quase impossível achar uma biblioteca do Vale que não tenha um livro sequer de Lobato.

Mas a internet como ferramenta de pesquisa já ganhou status de necessidade nos dias de hoje. Uma pesquisa pelo nome "Monteiro Lobato" no site de buscas Google, retorna nada menos do que 1.070.000 de resultados.

Daí a tarefa de pesquisar fica mais complexa. Nesse oceano de sites, é mais difícil achar uma praia com porto seguro para atracar seu mouse. A grande maioria das páginas que são resultados dessa busca nem sempre são dedicadas inteiramente ao autor, outros são superficiais e tratam de assuntos diversos com um ou outro artigo sobre Lobato.

Um dos links que retratam esse caso é o do portal Wikipédia. Amplamente usado como fonte de pesquisa, é preciso que as pessoas tenham consciência de que as informações contidas nas páginas do portal são criadas pelos próprios visitantes, ou seja, sem metodologia científica.

Mas alguns resultados merecem ser notados. É o caso da página da Globo.com (http://lobato.globo.com), que traz biografia, fotos, desenhos, pinturas e fotografias. Além disso, um biblioteca virtual com resumos dos livros, títulos de bibliografia de pesquisa e de algumas teses sobre o escritor podem ser checados.

Outro endereço é o do Projeto Memória (http://www.projeto memoria.art.br), que apesar de tratar de várias personalidades como Castro Alves e Paulo Freire, traz boas informações sobre Lobato. Visualmente agradável, tem área especialmente dedicada ao Sítio do Pica-Pau Amarelo.