Notícia

O Diário de Maringá

Lobato, eterno Lobato

Publicado em 24 outubro 2009

Para a professora da Unicamp Marisa Lajolo, uma das maiores especialistas em literatura do País, Monteiro Lobato segue sendo a grande referência literária para crianças

As qualidades de Lobato

Em um mundo com internet, games dos mais variados tipos e repletos de atrativos visuais, blockbusters literários como "Harry Potter" e um país como o Brasil em que se valoriza pouco a leitura, será que ainda existe espaço para Monteiro Lobato, criador do universo do Sítio do Pica Pau Amarelo e maior nome da literatura infantil de qualidade no País?

Para a professora da Unicamp Marisa Lajolo, uma das maiores especialistas brasileiras em literatura do País, a resposta é sim. Marisa receberá, dia 4 de novembro, em São Paulo, o Prêmio Jabuti na Categoria Teoria e Crítica Literária, prêmio que conquistou com a obra "Monteiro Lobato Livro a Livro", do qual é uma das organizadoras.

Pós-doutora em literatura comparada pela Brown University (EUA), Marisa deu entrevista exclusiva para O Diário, na qua falou sobre a importância que Monteiro Lobato possui na literatura brasileira ainda nos dias de hoje.

O Diário - A senhora venceu o Prêmio Jabuti com a obra"Monteiro Lobato Livro a Livro". O que significou este prêmio para a senhora?

Marisa Lajolo - Prêmio sempre deixa o premiado muito contente e feliz, então eu estou muito contente e feliz, mas, especificamente para este livro, o prêmio tem um significado acadêmico muito importante. É um prêmio na área de teoria literária e crítica sobre um autor que geralmente é meio desdenhado pela teoria literária. Lobato é sempre visto como: "Ah, ele não foi modernista", "Ah, ele brigou com a Tarsila e com a Anita Malfati", então há sempre uma certa restrição da crítica com o Monteiro Lobato. Ter um livro que fala sobre ele premiado dá uma chancela literária para Lobato. Além de tudo, ele é um autor que escreve para crianças e o livro trata da obra infantil do Lobato, então o prêmio também dá uma chancela no gênero infantil na área da teoria literária e da crítica. E é um livro fruto de uma pesquisa científica, financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de SP (Fapesp) e pelo CNpQ. Eu acho que é um livro bastante representativo da maturidade da área de estudos da literatura infantil e de leitura no Brasil.

O Diário - Qual a importância que Monteiro Lobato tem na literatura infantil hoje?

Marisa Lajolo - Muita. Ele é um grande escritor e um grande escritor não morre, sua obra permanece. Eu acho que as novas edições da obra infantil do Lobato mostram que há um mercado para a literatura infantil de qualidade, como é a literatura dele. Outra coisa interessante é que os livros do Lobato concorrem com os livros influenciados por ele. Quase todos grandes nomes da literatura brasileira para crianças e jovens foram leitores de Lobato. Então, temos agora uma espécie de encontro entre pais e filho na literatura.