Notícia

Esteta

Livro reúne conhecimento sobre dores orofaciais

Publicado em 04 abril 2012

Acaba de ser lançada pela editora Artes Médicas a segunda edição do livro Dores Orofaciais – Diagnóstico e Tratamento, do cirurgião-dentista José Tadeu Tesseroli de Siqueira e do neurocirurgião Manoel Jacobsen Teixeira.

A obra, publicada pela primeira vez em 2001, serve de referência para médicos, dentistas e demais profissionais de saúde que lidam com os diversos tipos de cefaleias e suas consequências.

“Buscamos atualizar o conteúdo com base em pesquisas recentes. Hoje, temos mais conhecimento sobre a fisiologia do aparelho sensitivo. Surgiram novos fármacos, novas intervenções terapêuticas na área da saúde mental e da reabilitação física, novas técnicas neurocirúrgicas”, disse Teixeira em entrevista à Agência FAPESP.

A inserção do cirurgião dentista em equipes multidisciplinares de saúde e os desafios da Odontologia no Brasil são temas do primeiro capítulo. Os seguintes explicam as várias naturezas da dor orofacial crônica e aguda, como enxaqueca, dor de cabeça tensional, dor de dente, faringite, queimação bucal, disfunção temporomandibular, dores de origem neuropática e até mesmo desconfortos causado por sinusites e rinites.

Outros problemas de saúde relacionados à dor orofacial também estão no livro, como zumbido, distúrbios do sono, do apetite e depressão. “Dispomos de remédios de ação ampla, que permitem que todas essas condições melhorem”, disse Teixeira.

De acordo com o neurocirurgião, a publicação também visa a divulgar as descobertas de pesquisas realizadas pelo Centro de Dor da Divisão de Neurologia do Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

“Desenvolvemos questionários mais específicos para avaliar aspectos da dor, que permitem fechar o diagnóstico mesmo sem auxílio de exames complementares. Os trabalhos feitos com ressonância magnética funcional nos permitiram entender melhor a fisiologia da dor e, eventualmente, prever o resultado de intervenções terapêuticas”, disse Teixeira.

Teixeira cita também as pesquisas feitas com estimulação magnética transcraniana, procedimento que permite saber o que ocorre no córtex e compreender a relação da dor com o funcionamento cerebral.

Alguns dos estudos feito pela equipe do HC contaram com apoio da FAPESP, como o projeto "Estimulação magnética transcraniana (EMT) no tratamento da dor em doentes com síndrome complexa de dor regional tipos i e II (distrofia simpático reflexa e causalgia)", coordenado por Teixeira.

“Atualmente, temos condições de saber de onde deriva o estímulo doloroso. Sabemos que várias regiões do sistema nervoso são colocadas em ação. Temos muitas informações que podem gerar novas pesquisas. Essas, por sua vez, podem resultar em novas intervenções para tratar as dores orofaciais”, disse.

A obra também conta com colaboração de outros especialistas brasileiros e estrangeiros. Segundo os autores, a presença de casos clínicos no fim de alguns capítulos aproxima os resultados das pesquisas da rotina dos consultórios, tornando o livro fonte de consulta para otorrinolaringologistas, neurologistas, oftalmologistas, cirurgiões de cabeça e pescoço, psiquiatras, psicólogos, dentistas, fonoaudiólogos, fisioterapeutas e demais interessados na anatomia e fisiologia do sistema nervoso.

Dores Orofaciais – Diagnóstico e Tratamento
Autores: José Tadeu Tesseroli de Siqueira e Manoel Jacobsen Teixeira
Lançamento: fevereiro de 2012
Preço: R$ 334
Páginas: 816
Mais informações: www.grupoa.com.br

 Fonte: Agência FAPESP