Notícia

Secretaria de Ensino Superior (SP)

Livro retrata os benefícios de frutas e hortaliças

Publicado em 19 janeiro 2009

A publicação repassa o conhecimento técnico-científico adquirido nos últimos seis anos.

 

O Brasil é o terceiro maior produtor mundial de frutas, com mais de 40 milhões de toneladas anuais, ficando atrás apenas de China e Índia, em uma produção mundial que gira em torno de 700 milhões de toneladas, de acordo com a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO).

As frutas que estão no topo do ranking das mais produzidas no país são laranja, banana, coco, abacaxi, mamão, caju e castanha-do-brasil. Depois de China, Índia e Brasil, aparecem Estados Unidos, Indonésia, Filipinas, Itália, México, Turquia e Irã, nesta ordem, que são os dez maiores produtores de frutas.

Com o objetivo de difundir tecnologias avançadas para elevar a qualidade desses produtos, desde a colheita até a embalagem, visando, entre outras coisas, a permitir que o setor no Brasil ocupe lugar de mais destaque no cenário internacional, a Embrapa Instrumentação Agropecuária, unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária em São Carlos (SP), acaba de lançar o livro Colheita e Beneficiamento de Frutas e Hortaliças.

"A publicação repassa o conhecimento técnico-científico adquirido nos últimos seis anos, de modo a auxiliar produtores na diminuição das perdas por meio de melhorias nas tecnologias utilizadas atualmente. As perdas pós-colheita chegam hoje a até 30% de tudo o que é produzido no país, devido principalmente aos danos físicos causados pelo manuseio inadequado e pelas temperaturas elevadas", disse o editor técnico do título e pesquisador da Embrapa, Marcos David Ferreira.

"A idéia do livro, escrita por cientistas de diversas instituições de ensino e pesquisa do Brasil, é abordar conhecimentos novos sobre as fases de colheita e beneficiamento de diversas culturas e trazer à tona assuntos com pouca literatura científica disponível, como é o caso das informações sobre ergonomia agrícola relatadas em um dos capítulos", conta Ferreira, que também é professor da Faculdade de Engenharia Agrícola (Feagri) da Universidade Estadual Paulista (UNICAMP).

Dezessete autores escreveram os dez capítulos da obra, que apresentam fotos, gráficos e tabelas. Em 144 páginas estão descritor aspectos relevantes sobre manuseio dos produtos, seleção nas linhas de beneficiamento, escolha das melhores metodologias de trabalho e a redução do estresse pós-colheita, além de características do beneficiamento e de suas dez etapas, que são descritas em detalhes.

A edição foi financiada pelo Projeto de Apoio ao Desenvolvimento de Tecnologias Agropecuárias para o Brasil (Prodetab) do Banco Mundial, sendo que alguns dos estudos descritos nos capítulos foram desenvolvidos com apoio da FAPESP, a exemplo do Projeto Unimac, que deu origem à Unidade Móvel de Auxílio à Colheita, uma colheitadeira de tomate de mesa desenvolvida na Feagri/Unicamp para aumentar a produtividade no campo, ao diminuir o índice de desperdício do fruto de 30% para 8%, além de melhorar as condições de trabalho dos agricultores.

A colheitadeira, capaz de processar até 2 toneladas do fruto por hora de trabalho, foi criada não apenas para permitir o aumento da produtividade, mas também para oferecer melhores condições de trabalho aos agricultores. A construção do protótipo do equipamento teve apoio da FAPESP na modalidade Jovens Pesquisadores em Centros Emergentes.

"Depois disso o equipamento contou com financiamento da fase 1 do PIPE [Programa de Inovação Tecnológica em Pequena Empresa], quando o testamos e o aprovamos em estudos de campo", explicou Ferreira.

O processo de viabilidade técnica da colheitadeira contou com a participação de especialistas da Universidade da Flórida (Estados Unidos), da Universidade Federal de Uberlândia e do Centro de Qualidade de Hortaliças da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), além da Embrapa Hortaliças, em Gama (DF).