Notícia

Info Energia

Livro identifica oportunidades de pesquisa no campo do etanol

Publicado em 28 outubro 2011

São Paulo, 28/10/2011 - O livro Bioetanol de Cana-de-açúcar - P&D para produtividade e sustentabilidade (Editora Blucher), organizado pelo professor Luís Augusto Barbosa Cortez, da Faculdade de Engenharia Agrícola (Feagri) da Unicamp, ganhou o Prêmio Jabuti 2011 na categoria "Ciências Naturais". O anúncio foi feito no último dia 17 de outubro pela Câmara Brasileira do Livro. A premiação é reconhecida como a mais importante da literatura brasileira.

Esta é a segunda vez que Cortez vence o Jabuti. Em 1993, o docente foi contemplado na categoria "Ciências Exatas e Tecnológicas" com a obra intitulada Introdução à Engenharia Agrícola no Brasil, publicado pela Editora da Unicamp. "Penso que o Jabuti é um reconhecimento tanto ao livro quanto ao tema nele tratado, visto que o etanol continua se apresentando como uma grande oportunidade para o Brasil", considera o pesquisador. A entrega do Prêmio Jabuti será no dia 30 de novembro, na Sala São Paulo, em São Paulo. Os primeiros colocados receberão, além de troféu, R$ 3 mil em dinheiro. O trabalho foi divulgado pelo Jornal da Unicamp na última edição.

Cortez revela que esperava que o livro ficasse entre os finalistas da categoria, mas não imaginava que pudesse ganhar o Jabuti. "Possivelmente, a Câmara Brasileira do Livro reconheceu o caráter inédito da obra. É a única que eu conheço que trata o assunto com uma abordagem diferenciada. O livro não pretende ensinar o que é etanol, mas sim identificar oportunidades de pesquisa. Ou seja, é totalmente dirigido a quem faz ou pretende fazer pesquisa na área", explica.

De acordo com o docente da Feagri, o volume, publicado em setembro do ano passado, é resultado de um projeto de três anos na área de políticas públicas financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), do qual foi coordenador. O projeto PPP-Etanol foi coordenado através do Núcleo de Planejamento Energético (Nipe) da Unicamp, tendo a Agência Paulista do Agronegócio (APTA) como instituição parceira.

Durante o projeto, conta Cortez, foram realizados 20 workshops abordando temas pinçados da cadeia produtiva do etanol. "Quando elaboramos o projeto, ele previa a realização de apenas dez workshops. Entretanto, conforme íamos avançando nas discussões, novos pontos iam sendo colocados. Há temas, porém, sobre os quais sequer tratamos, como é o caso do motor a álcool. Nós até queríamos abordar a questão, mas não encontramos especialistas no assunto. Ou seja, tratamos de tudo relativo à produção, mas o uso, que é um ponto igualmente importante, não. Este tema está sendo objeto de um projeto que estamos elaborando agora", adianta.Organizada por docente da Feagri, obra conta com 126 autores, com suas experiências.

No decorrer dos trabalhos, revela o docente da Unicamp, o diretor científico da Fapesp e ex-reitor da Unicamp, Carlos Henrique de Brito Cruz, o incentivou a produzir um livro com os resultados alcançados. "Logo em seguida, o professor Brito sugeriu que a obra fosse publicada também em inglês, para possibilitar a sua circulação entre os pesquisadores de outros países interessados na temática abordada".

Equipe Infoenergia