Notícia

Jornal de Piracicaba

Livro enfoca a obra do arquiteto Ramos de Azevedo

Publicado em 07 maio 2000

Por Marcelo Batuíra
O livro de Maria Cristina Wolff de Carvalho desenvolve uma análise da obra de Ramos de Azevedo, a partir de sua formação européia e de sua relação com o assim chamado "ecletismo" na arquitetura da segunda metade do século XIX. A autora parte de um exame das teorias e práticas da arquitetura dentro das quais Ramos de Azevedo se formou, durante os anos em que estudou na Bélgica, para. em seguida, abordar os diversos e volumosos projetos que o arquiteto desenvolveu após seu retorno ao Brasil. Baseando-se principalmente no portfólio de Ramos de Azevedo, a autora dividirá seus projetos segundo três grande categorias: aqueles para edificações do governo; os realizados para instituições modernas, como hospitais, manicômios, escolas, etc, e finalmente as residências particulares, mostrando, ao longo desta análise, o quão fundamental era para o arquiteto a questão da função do edifício, tanto para a execução da planta, quanto para a aplicação de estilos. De fato, a versatilidade dos projetos de Ramos de Azevedo diferia da "colagem" de estilos de diferentes épocas pregadas por Guadet. revelando, antes, um certo "purismo" na aplicação de seu amplo vocabulário emprestado da história da arquitetura. Isso porque, para nosso arquiteto, assim como para Louis Cloquet. os estilos eram reveladores da função e do caráter do edifício e não elementos simplesmente decorativos. Da mesma forma, a atenção à formação do tecido urbanístico de São Paulo de então aponta para o princípio fundamental dessa arquitetura: sua adequação às novas exigências da vida moderna. Por fim, a autora aponta para a coerência existente entre as atividades de Ramos de Azevedo como arquiteto e como professor, ressaltando o importante papel que este desempenhou na estruturação do primeiro curso de arquitetura de São Paulo junto à Escola Politécnica. Com tudo isso, não resta dúvida de que Ramos de Azevedo representou um capítulo fundamental da história da arquitetura paulista, que, com a presente publicação, começa a ser revalorizado. A AUTORA - Maria Cristina Wolff de Carvalho (1956) - arquiteta, doutora em arquitetura pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. É professora no curso de Arquitetura da Fundação Armando Álvares Penteado - FAAP, trabalhou no Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo - Condephaat, e no Departamento de Patrimônio Histórico da Eletropaulo. É, desde 1991, sócia da empresa Marcos Carrilho Arquitetos, atuando nas áreas de editoria e restauração. Título: Ramos de Azeredo Autora:Maria Cristina Wollf de Carvalho 408 págs. Ilustrado / papel couchet Formato: 23 x 26 cm Ed. EDUSP / Fapesp