Notícia

Esteta

Livro aborda discussões sobre indicadores e percepção da ciência e da tecnologia

Publicado em 21 julho 2016

Por Diego Freire, da Agência FAPESP

Produzido para integrar uma coleção organizada pelo Grupo de Investigación de Estudios Sociales de la Ciencia da Universidad de Oviedo, na Espanha, e pela Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI) acaba de ser publicado pela editora espanhola La Catarata o livro O discurso dos indicadores de C&T e de percepção de C&T, de Carlos Vogt e Ana Paula Morales.

De acordo com os autores, o conteúdo da obra foi desenvolvido a partir de ensaios e artigos publicados por ambos e relacionados à cultura científica e à percepção pública da ciência e da tecnologia, além de novas reflexões surgidas de trabalhos conduzidos no Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (Labjor) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Os indicadores de ciência e tecnologia (C&T) têm sido utilizados para monitorar esforços de investimentos e resultados de políticas científicas. Mais recentemente, avaliam os autores, estudos em percepção pública da ciência apontaram para a necessidade de se compreender como o público se relaciona com temas de C&T, incentivando a participação da sociedade nas tomadas de decisões.

“Os processos próprios da ciência e da sua relação com a sociedade passam pela comunicação, que assume características particulares de acordo com o contexto e o público a que se destina. Os indicadores de C&T e de percepção de C&T, por sua vez, possuem discursos específicos, que devem ser considerados para que a complexidade da cultura científica possa ser compreendida nos diferentes modos de sua inserção social, política e econômica no mundo contemporâneo”, avalia Vogt.

Além de apresentar e discutir indicadores, o livro aborda o conceito de cultura científica, que, de acordo com a obra, “pode ser entendida como o conjunto de processos relacionados à ciência e à tecnologia que engloba desde a produção do conhecimento até a divulgação científica”. Tais processos e ações, dizem os autores, são complexos, possuem mecanismos próprios de funcionamento e se relacionam entre si.

Espiral da Cultura Científica

Também é tratado o conceito de Espiral da Cultura Científica, cunhado por Vogt como uma metáfora para a representação da dinâmica e da relação entre os fatos, ações e eventos compreendidos pela cultura científica. Dois eixos perpendiculares, um na vertical e outro na horizontal, definem e opõem quatro quadrantes, pelos quais percorre continuamente uma linha espiralada.

O primeiro quadrante, ponto de origem da espiral, contém as ações voltadas para a produção e a disseminação da ciência, espaços nos quais cientistas são, do ponto de vista da comunicação, locutores e destinatários do conhecimento científico, por meio da publicação de artigos e da realização de congressos, simpósios, reuniões e outros eventos similares.

O segundo quadrante, do ensino de ciência e treinamento de cientistas, é configurado pela entrega de informações de cientistas e professores aos estudantes de diferentes níveis, desde a educação básica até a pós-graduação.

Atividades voltadas para o ensino para a ciência ocupam o terceiro quadrante, no qual cientistas divulgadores, professores e espaços como museus e feiras de ciências levam a C&T aos estudantes e ao público majoritariamente jovem.

Por fim, o quarto quadrante representa a divulgação científica mais ampla praticada por jornalistas e pesquisadores, que tem a sociedade em geral como interlocutora.

“Em todos os processos que fazem parte da dinâmica da cultura científica e que podem ser representados nos quadrantes mencionados, a comunicação tem um papel fundamental, seja para a disseminação e a consolidação de novos conhecimentos, para a difusão e a divulgação de conteúdos e saberes científicos e tecnológicos, bem como para a educação”, diz a obra.

Carlos Vogt é professor emérito da Unicamp, coordenador do Labjor e presidente da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp). Foi presidente da FAPESP de 2002 a 2007. Ana Paula Morales é pesquisadora associada do Labjor-Unicamp, doutoranda do Departamento de Política Científica e Tecnológica (DPCT) da instituição e assessora de Comunicação da Univesp.

O livro O discurso dos indicadores de C&T e de percepção de C&T integra a coleção Los Libros de La Catarata, da Serie Ensayos y Sociedad, da OEI, e o projeto Alta Divulgación, da Cátedra CTS+I da organização, e conta com o apoio da Consejería de Economía y Conocimiento de la Junta de Andalucía e do projeto de pesquisa Políticas de Cultura Científica do Ministerio de Economía y Competitividad de España.

O discurso dos indicadores de C&T e de percepção de C&T
Autores: Carlos Vogt e Ana Paula Morales 
Editora: La Catarata 
Lançamento: 2016 
Preço: EUR 13 
Páginas: 96

Mais informações: La Catarata