Notícia

O Estado do Maranhão online

Lista vermelha das plantas

Publicado em 15 janeiro 2011

Uma em cada cinco espécie de plantas no planeta está sob o risco de extinção, de acordo com nova Lista Vermelha elaborada por instituições internacionais.

As plantas são tão ameaçadas pelo risco de extinção como os mamíferos, de acordo com uma pesquisa global realizada por instituições européias. A pesquisa concluiu que em cada cinco espécies de plantas no mundo ocorre risco de extinção. A Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas de Extinção, mediante os resultados dos estudos realizados na análise realizada pelo Royal Botanic Gardens de Kew e pelo Museu de História Natural de Londres, no Reino Unido, e pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN).

A pesquisa considerada uma das principais bases para a conservação, revelou a verdadeira extensão da ameaça às plantas do mundo, estimada em 380 mil espécies. Pesquisadores das três instituições realizaram avaliações a partir de uma amostra representativa de plantas de todo mundo, em resposta ao Ano Internacional da Biodieversidade das Nações Unidas e às Metas de Biodiversidade-2010. Os resultados anunciados deverão ser considerados na Cúpula da Biodiversidade das Nações Unidas, que reuniu governos em Nagoia, no Japão, com o objetivo de estabelecer novas metas.

O trabalho teve apoio principalmente na ampla base de informações botânicas do Herbário, Biblioteca, Artes e Arquivos de Kew - que inclui cerca de 8 milhões de espécimes preservadas de plantas e fungos - nos 6 milhões de espécimes do Herbário do Museu de História Natural, em dados digitais de outras fontes e nas bases de informações de rede de parceiros dos Roy Botanic Gardens em todo o mundo.

O estudo revelou o que já suspeitávamos: as plantas estão sob ameaças e a principal causa é a degradação induzida por humanos em seus habitats, cita Stephen Hopper, diretor dos Royal Botanic Gardens de Kew. ?Pela primeira vez temos um retrato global claro do risco de extinção das plantas mais conhecido no mundo. Esse relatório mostra as ameaças mais urgentes e indica as regiões mais ameaçadas?, afirmou.

Metas - O Cientista Hopper, acrescentou que as Metas de Biodiversidade para 2020, que foram discutidas em Nagoia, são ambiciosas. Mas um aumento de escala nos esforços se faz necessário em um aumento de perda pronunciada da biodisersidade.

As plantas são o fundamento da biodiversidade e sua relevância para as incertezas climáticas, econômicas e políticas têm sido negligenciadas por muito tempo?, afirmou.

Alguns dos dados do estudo:

- Cerca de um terço das espécies (33%) da amostra é conhecido em grau insuficiente para permitir uma avaliação de conservação. Isso mostra a escala da tarefa de conservação que será enfrentada por botânicos e cientistas - muitas plantas são tão pouco conhecidas que não é possível saber se estão ou não em perigo;

- De quase 4 mil espécies que foram cuidadosamente avaliadas, mais de um quinto (22%) foi classificadas como ameaçadas;

- As plantas são mais ameaçadas que aves, tão ameaçadas como mamíferos e menos ameaçadas que anfíbios e corais;

- Gimnospermas o grupo vegetal que inclui as coníferas - o grupo mais ameaçado. O habitat mais ameaçado são as florestas tropicais, com a Amazônia;

- A maior parte das plantas ameaçadas é encontrada nos trópicos;

- O processo mais ameaçador é a perda de habitat induzida pelo homem, em especial a conservação de habitat naturais para uso da agricultura.

Fonte: Agência FAPESP