Notícia

UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas

Lipid Club reúne pesquisadores de universidades públicas paulistas

Publicado em 01 dezembro 2011

No dia 28 de novembro, aconteceu na Unicamp, na Casa do Professor Visitante, o primeiro Lipid Club. O evento, coordenado pela professora Eliana Cotta de Faria, do Departamento de Patologia Clínica da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp e pelo professor Eder Quintão, da Universidade de São Paulo (USP), reuniu em torno de 50 pessoas entre pesquisadores e alunos de pós-graduação de universidades públicas paulistas. De acordo com a organização do encontro, o próximo deverá ocorrer dentro de seis meses. O local não foi informado.

Durante o encontro foram apresentados, oralmente, pelos alunos de pós-graduação, 13 trabalhos científicos desenvolvidos nas áreas médica e biológica da Unicamp e da USP, com ênfase no metabolismo da lipoproteína de alta densidade (HDL), na proteína de transferência de ésteres de colesterol (CETP), em diabetes mellitus e resistência insulínica e em fitosteróis.

Um dos destaques da reunião foi a participação do professor Anatol Kontush, do National Institute for Health and Medical Research (Inserm), de Paris, França. Anatol Kontush veio à Unicamp diretamente de uma reunião no Congresso Prevent Brazil da Sociedade Brasileira de Cardiologia, em Florianópolis, Santa Catarina, onde apresentou uma palestra sobre a lipoproteina de alta densidade, sua especialidade. Ele está lançando, nos próximos meses, um livro entitulado High-Density Lipoprotein.

Os professores e orientadores da Unicamp Andrei Sposito (FCM) e Helena C. F. Oliveira (IB) e da USP Edna Nakandakare, Marisa Passarelli, Patricia Cazita e Valeria Sutti Nunes também tiveram participações importantes no encontro.

A aterosclerose é a doença que mais mata no mundo, através de suas complicações como infarto agudo do miocárdio, morte súbita, acidente vascular cerebral entre outros. A HDL tem papel de proteção contra a aterosclerose confirmada em numerosos estudos populacionais em diferentes países. Por esta razão, inúmeros pesquisadores estudam os mecanismos desta função ateroprotetora com o objetivo de regular sua concentração positivamente no plasma.

"A proteína de transferência de ésteres de colesterol (CETP) é uma proteína determinante da concentração da HDL no plasma e, por reduzi-la pelo mecanismo de transferência de lípides entre esta e as lipoproteínas que contém apolipoproteina B, tem papel aterogênico. Portanto, a inibição da CETP, alvo de várias indústrias farmacêuticas no mundo, leva a um aumento grande nas concentrações da HDL plasmático. Especula-se e estuda-se que este efeito seja acompanhado também de aumento em suas funções antiaterogênicas", explico Eliana Cotta de Faria.

A organização do evento contou com o apoio financeiro da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e com o apoio técnico de Daniele Angélica de Alencar, da Unicamp.

Texto: Edimilson Montalti - ARP-FCM/UNICAMP