Notícia

Jornal do Brasil

Linha dedicada atrasa a Universidade Virtual

Publicado em 09 abril 1996

A inauguração da Universidade Virtual da Faculdade Carioca será dia 30 de abril, um mês depois do previsto. Atrasos no cabeamento com fibra ótica do novo prédio da faculdade, localizado no Rio Comprido, e a demora na instalação pela Telerj de uma linha dedicada, que ligará a Faculdade Carioca ao Núcleo de Computação Eletrônica da UFRJ, foram os responsáveis pelo atraso. A primeira disciplina do curso virtual de Tecnologia da Informação, que será feito pela Internet, já está pronta: Introdução à Análise de sistemas, toda em hipertexto. Os interessados em participar da primeira turma de teste, gratuita, devem se inscrever por e-mail (info@carioca.br) ou pelo fax 502-4172, dizendo nome, endereço e telefone para contato. Já há uma lista com 125 pessoas interessadas. A inscrição oficial dos interessados será feita, em maio, quando a Faculdade Carioca vai publicar um edital. A primeira turma terá 20 alunos. Como critério para escolher os beta testers, o diretor geral da Faculdade, Celso Niskier, pretende optar por pessoas com vontade de aprender e capacidade crítica para sugerir melhoras no curso. "Pessoas que trabalham com Internet ou informática, jornalistas, educadores, moradores de outros estados para avaliarmos o curso a distância, jovens e executivos estão entre o público que procuramos", detalha. A primeira turma fará o curso de graça, mas terá que fazer avaliações periódicas do projeto e terá o compromisso de não abandonar o estudo, sob pena de pagar taxas pela desistência. A Faculdade Carioca já conta com 40 linhas telefônicas, 11 servidores Risc e 74 computadores Pentium para a primeira fase do projeto. A primeira turma vai ajudar a identificar os custo do curso, para que seja fixada a mensalidade. "Os cursos virtuais serão mais baratos que os tradicionais", acredita Niskier. O pagamento do curso será feito por transferência eletrônica de fundos. A Faculdade está fechando parceria com uma instituição financeira para administrar a tesouraria virtual. Ainda não foi definido qual banco fará esse papel, estão na disputa Unibanco, Banco Bandeirantes e Banco Real, segundo Niskier.