Notícia

O Povo

Leitura na quarentena: confira as dicas de educadores

Publicado em 28 maio 2020

Educadores dão dicas de leitura na quarentena para ajudar a driblar o isolamento social e tornar os dias mais proveitosos.

O tempo nunca precisou ser tão bem aproveitado como na atualidade. Em tempos de quarentena e isolamento social, gente de todo o mundo tem buscado realizar atividades de todo tipo para manter a sanidade física e mental, como praticar alguma atividade física, assistir a filmes, maratonar séries, fazer cursos on-line ou ler.

Convidamos, portanto, alguns educadores para darem sugestões de leitura na quarentena e ajudar você a tornar esse momento menos dramático e mais proveitoso possível. Confira as dicas de leitura dos nossos colegas educadores que vão, de alguma forma, ajudar você na sua profissão e no seu desenvolvimento!

1. Firms of Endearment, de Rajendra Sisodia

Firms of Endearment, de Rajendra Sisodia

O livro Firms Of Endearment é um dos melhores livros de negócios que já li. Tive contato com este livro em uma visita que realizei à Babson College, em Boston – EUA, em janeiro de 2019. É um livro sobre novas regras que transformam negócios de dentro para fora!

As maiores empresas de hoje são alimentadas por paixão e propósito, não por dinheiro. Elas obtêm grandes lucros ajudando todas as partes interessadas a prosperar: clientes, investidores, funcionários, parceiros, comunidades e sociedade. Essas empresas raras e autênticas de afeto agem de maneiras tão poderosamente positivas que as partes interessadas reconhecem, valorizam, admiram e até amam. Eles tornam o mundo melhor pela maneira como fazem negócios – e o mundo responde.

Acredito que lendo este livro e conhecendo o seu negócio como você conhece, ele irá te ajudar a criar sua grande empresa de afeto, mudar o mundo e ter sucesso em todos os níveis importantes.

Foto: arquivo pessoal

André Guadalupe, Cofundador e Diretor do Colégio Planck (São José dos Campos/SP)

2. Mina e suas luzinhas: em defesa da infância, de Januária Cristina Alves

Mina e suas luzinhas: em defesa da infância, de Januária Cristina Alves

A obra de Januária Cristina Alves conta a história de Mina, uma garota que, junto com os irmãos mais novos, teve de passar uma temporada na casa de sua avó, pois sua mãe estava doente. Na nova cidade, ela e os irmãos passam por situações com desconhecidos que lhes oferecem carona ou vantagens para que eles façam um passeio, encontram amigos que se expõem na internet sem saber que correm perigo e até alguns que não sabem o que fazer quando um adulto os toca de maneira abusiva. Muito espertos e alertas, eles não só vão ensinar os leitores como reconhecer e escapar de circunstâncias desse tipo, como também mostrar quais são os direitos das crianças, especialmente os relacionados ao próprio corpo, além de demonstrar como se sentir confiante para buscar ajuda.

Este livro, feito em parceria com o Centro Marista de Defesa da Criança e do Adolescente, traz uma dose de ousadia quando permite o empoderamento das crianças leitoras, conscientiza os leitores e os preparam para enfrentar a vida dentro dos seus perigos e a se defender e pedir ajuda.

Foto: Divulgação

Isabel Lopes Coelho, Gerente Editorial de Projetos Especiais e Literatura/Paradidáticos da FTD Educação

3. Revista Pesquisa FAPESP

A revista Pesquisa FAPESP é a única publicação jornalística do país especializada no segmento de ciência e tecnologia que tem como foco a produção científica nacional, mas ainda assim há novidades internacionais. Ela funciona como um polo de contato e reconhecimento contínuo dos pesquisadores brasileiros e como referência indispensável para as editorias de ciência e tecnologia de veículos de comunicação.

O Enem costuma utilizar muitos destes textos como base para as questões do exame. Incentivo não só a leitura, como também o compartilhamento entre colegas e alunos.

4. STEAM em sala de aula, de Lilian Bacich e Leandro Holanda

STEAM em sala de aula, de Lilian Bacich e Leandro Holanda

A Lilian Bacich tem diversas obras e uma delas é STEAM em sala de aula – Aprendizagem baseada em projetos integrando conhecimentos na Educação Básica. Para mim, foi um presente, pois em um dos capítulos eu escrevo um pouco sobre o trabalho. Ele é um livro de organização, então tem vários capítulos trazendo muito da prática de como levar o STEAM para a sala de aula. Tem, então, um capítulo que em que eu escrevo com a Lilian, contando um pouquinho do socioemocional dentro da aprendizagem do STEAM com o trabalho de robótica com sucata.

Vale super a pena conhecer esse livro, porque ele fala sobre como integrar as áreas para desenvolver competências com relação ao STEAM, o panorama do ensino do STEAM como uma tendência global, a aprendizagem trazendo um pouco das metodologias ativas, dessa aprendizagem trazida por projetos, traz atividades experimentais, investigativas, o papel das Artes e da Matemática dentro do STEAM, um olhar socioemocional, a formação de professores e muito mais. E o último capítulo traz exemplos de projetos. Vale a dica de leitura na quarentena para que a gente possa vencer esse desafio e fazer a leitura do STEAM em sala de aula.

5. Dica do Editor: O roubo do ENEM, de Renata Cafardo

O roubo do ENEM, de Renata Cafardo

Existe o ENEM antes de 2009 e depois de 2009. O que antes era uma prova para medir a aprendizagem dos alunos do Ensino Médio tornou-se, subitamente, a principal porta de entrada dos estudantes no Ensino Superior, substituindo processos seletivos de boa parte das universidades federais.

A mudança chamou atenção. Poucos dias antes do primeiro dia de aplicação do novo ENEM, o jornal O Estado de S. Paulo recebeu a informação de que a prova havia sido furtada e poderia ser negociada. Isso foi uma bomba para o MEC. Resultado: a aplicação do ENEM na data prevista acabou sendo cancelada.

Em O roubo do ENEM: A história por trás do vazamento da principal prova do país, com uma narrativa envolvente e frenética, a jornalista Renata Cafardo, peça-chave nesse furo de reportagem, discorre sobre o fato e outros tantos episódios que macularam a imagem do maior vestibular do país. Além disso, Renata se debruça sobre a história do exame e os bastidores do MEC, contando desde a sua gênese até a sua transformação no que é hoje em dia. É uma ótima leitura na quarentena para quem tem curiosidade sobre o exame.