Notícia

Revista do Idec

Lâmpadas fluorescentes reaproveitadas

Publicado em 01 julho 2006

Cerca de 94% das 100 milhões de lâmpadas fluorescentes consumidas por ano no Brasil são descartadas em aterros sanitários sem nenhum tipo de tratamento, liberando metais pesados que podem contaminar o solo e a água.
Uma solução para esse problema foi desenvolvida no Centro Incubador de Empresas Tecnológicas (Cietec) da Universidade de São Paulo (USP): um sistema que recupera os componentes presentes nas lâmpadas e reutilizam mais de 98% da matéria-prima usada na sua fabricação.
O mercúrio, que é um metal tóxico, é separado de outros elementos como cobre, pó fosfórico, vidro e alumínio, e sua reutilização representa uma grande economia ao país, que importa esse metal de países como Espanha, México e Rússia. A Tramppo Recicla Lampadas (www.tramppo.com.br), empresa responsável pela tecnologia, iniciou a venda de lâmpadas a preço de custo, recolhendo as usadas para reciclagem. Dessa forma, pretende vender a matéria-prima para as indústrias que produzem lâmpadas, gerando uma sustentabilidade ambiental e econômica em todo o processo. Com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), desenvolveu um equipa mento de reciclagem de lâmpadas, com patente solicitada em 2005 (100% de tecnologia nacional). Suas operações, em São Paulo, serão iniciadas agora em julho.