Notícia

USP - Universidade de São Paulo

Laica, da ECA, aprimora conceitos na reflexão sobre o audiovisual

Publicado em 05 janeiro 2011

Por Lucas Rodrigues / USP Online

Homologado desde o ano passado, funciona no Departamento de Cinema, Rádio e TV (CTR) da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP o Laboratório de Investigação e Crítica Audiovisual (Laica). Constituído de diversos núcleos em que se realizam diferentes estudos, o laboratório foi criado para fortalecer a infraestrutura de pesquisas relacionadas à reflexão e à teoria do audiovisual na Universidade.

Além de concentrar os diferentes campos de estudo de cada professor e incentivar a participação dos estudantes em torno da experiência acadêmica, o laboratório surgiu como parte do mesmo movimento que gerou um novo programa de pós-graduação em meios e processos audiovisuais no Departamento, como uma ação que valoriza a pesquisa na área.

Para Esther Imperio Hamburger, professora do Departamento e uma das criadoras do Laica, esse desafio é particularmente importante para o CTR devido à sua relevância no âmbito da produção sobre a história do cinema no Brasil, que envolve nomes como Paulo Emílio Salles Gomes, Jean-Claude Bernadet e Ismail Xavier. "Muito da historiografia do cinema brasileiro foi desenvolvida aqui dentro", diz a professora.

Nesse sentido, o Laboratório aglutina grupos de pesquisa, que reúnem tanto alunos quanto docentes, o que aconteceu, por exemplo, há pouco tempo com um núcleo que se dedicou à prática da crítica e ao estudo do filósofo francês Gilles Deleuze. Além disso, o Laica também organiza palestras e seminários sobre os temas ligados à sua área de investigação, alguns deles em parceria com a Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP.

Reforço na estrutura

Recentemente, baseado em projetos de pesquisa dedicados a temas diversificados, como o intercâmbio de conhecimento entre cineastas da periferia com o ambiente universitário, o Laica conseguiu, junto à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), a aprovação de um Projeto de Equipamento Multiusuário, que permitirá a montagem de uma sala de exibição. "O Departamento está disponibilizando um auditório, e a gente vai equipar esse auditório com o recurso vindo desse projeto", conta a professora. O projeto potencializará atividades de exibição, processamento e produção de materiais didáticos e de investigação.

Entre os aparelhos que serão adquiridos, estão um projetor 2K, de alta definição, um equipamento para transmissão online das atividades desenvolvidas no Laboratório, e um material para edição, que será compartilhado com o Laboratório de Montagem do Departamento. De acordo com Esther, como grande parte do acervo dos professores ainda está em mídias obsoletas, como o VHS, a ideia também é garantir sua digitalização "para manter um acervo didático e de pesquisa".

Parcerias e projetos

De acordo com Cristian Borges, professor do CTR e, ao lado de Esther Hamburger, fundador do LAICA, o Laboratório surgiu para suprir um espaço pouco privilegiado para a área de teoria e crítica do audiovisual. Por esse motivo, abre possibilidade de que o maior número de grupos de pesquisa se agreguem, tanto da USP, quanto de outras universidades e países. "A ideia é que a gente consiga, com o tempo, se associar a vários grupos", afirma.

Além da associação com vários núcleos de pesquisa, o laboratório trabalha, ainda, com a parceria em mostras e eventos de audiovisual. Em 2010, por exemplo, o Laica participou da organização da mostra "Harun Farocki: por uma politização do olhar", em homenagem ao artista alemão, juntamente com a Cinemateca Brasileira, o Goethe-Institut São Paulo e o Cinema da USP Paulo Emílio (Cinusp).

Para 2011, estão previstas a criação de um site para o Laboratório e de uma publicação própria, em edição online e impressa. No começo do ano, será planejada uma programação de seminários regulares, que deverão acontecer mensalmente, e que vão acolher pesquisadores da comunidade interna e externa à Universidade. Para Borges, apesar de já existir uma grande participação dos estudantes, a principal intenção do grupo é "aumentar a circulação de alunos e professores no Laica". O primeiro seminário, que será realizado em março, em parceria com a Cinemateca e o Cinusp, se dará em torno da obra de David Perlov, cineasta experimental israelense-brasileiro.