Notícia

O Imparcial (Presidente Prudente, SP)

Laboratórios da UFSCar finalizam primeira etapa do Projeto Genoma

Publicado em 14 junho 2000

Os laboratórios de Biologia Molecular (LBM), coordenado pelo pesquisador Flávio Henrique da Silva, e de Fitopatologia Molecular e Engenharia Genética (Laflmeg), coordenado pelo pesquisador Éder Gielioti, conclui recentemente a primeira etapa do projeto Genoma da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Nesse projeto está sendo seqüenciado o genoma da Sacchanim SP, conhecida popularmente como cana-de-açúcar. Os laboratórios envolvidos têm que concluir, no período de um ano. 4000 seqüências de DNA. Tanto o LBM quanto o Lafimeg passaram a participar do Projeto Genoma apenas em junho do ano passado. Com isso, receberam os equipamentos necessários ao seqüenciamento dos DNAs ao longo de I99ede 2000. O prazo final para o término da primeira etapa era7de junho último, mas os pesquisadores dos dois laboratórios conseguiram terminar o trabalho antes daquela data apesar dos contratempos. O LBM só recebeu o seqüenciador e a centrífuga de placa, aparelhos indispensáveis para a realização do mapeamento do DNA, em novembro e dezembro de 1999, respectivamente. O seqüenciamento foi concluído no início de maio. "Tivemos um tempo bastante reduzido para pesquisar, mas conseguimos realizar o trabalho antes do prazo final", afirma Andréa Soares da Costa, uma das pesquisadoras envolvidas no projeto. Já os pesquisadores do Lafimeg conseguiram monturo laboratório apenas em fevereiro deste ano. Apesar do trabalho de mapeamento do material genético, ter começado em março, a primeira etapa já foi finalizada. Os coordenadores dos dois laboratórios reconheceram o esforço realizado. "Toda a realização do seqüenciamento é mérito dos alunos", afirma Silva. Além de Andréa, trabalharam na primeira etapa do projeto Camilo Del Cistia, Alexandre Cassago e Henrique Silveira. Para a segunda etapa, a equipe contará também com a participação de Elisandra Rodrigues. Pelo Lafimeg, trabalharam três biólogas, três alunos de graduação e uma farmacêutica. TRABALHO ÁRDUO A infra-estrutura do projeto Genoma é composta por diversos laboratórios: o Laboratório de Bioinformática (LBI - Unicamp), 23 laboratórios de seqüenciamento espalhados por algumas cidades do estado de São Paulo, além do Laboratório de Coordenação (Unicamp), de Cooperação Internacional (Coopersucar) e diversos grupos que fazem análise dos dados obtidos ("data mining"). Serão mapeados, ao longo de quatro anos. cerca de 50 mil genes que controlam o crescimento, o desenvolvimento, produtividade e o teor de açúcar da cana, além de outros parâmetros essenciais, como a resistência da cana a insetos que comprometem a produtividade das plantações. Entretanto, acredita-se que o projeto será concluído antes do programado. Mas o trabalho de seqüenciamento não se encerra na quantidade: é preciso qualidade. Das seqüências submetidas pelo LBM e pelo Lafimeg, uma grande porcentagem é aproveitada. Esses números são importantes, pois quanto maior o número de seqüências de qualidade, maior será a contribuição dos laboratórios com o projeto e maior será a verba que a Fapesp destinará às pesquisas. O responsável por enviar aos pesquisadores os clones que serão seqüenciados é o grupo CC da Unicamp (Grupo de Coordenação). Após receber esses clones, os laboratórios iniciam a extração do DNA. Todo o processo, que envolve várias fases distintas e termina com as leituras feitas pelo computador, demora cerca de 24 horas. As seqüências obtidas são então enviadas ao Laboratório de Bioinformática, que faz as análises de qualidade e as armazena em banco de dados. (Fabrício Carareto/UFSCar).