Notícia

Tribuna Impressa

Laboratório reduz lixo químico

Publicado em 11 junho 2003

A Câmara Municipal de São Carlos aprovou, por unanimidade, Moção de Congratulação à Embrapa Pecuária Sudeste, na pessoa da pesquisadora Ana Rita de Araújo Nogueira, pela implantação do laboratório de tratamento de resíduos químicos, recentemente inaugurado. Com a implantação do novo sistema, a Embrapa passou a tratar os cerca de 300 litros de resíduos produzidos mensalmente pela instituição. Agora, de acordo com a Embrapa, os resíduos foram reduzidos significativamente, com grandes ganhos ambientais. O investimento no laboratório foi de em torno de 70 mil dólares, em equipamentos, e mais R$ 200 mil em reformas e instalações, custeados pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), do Governo do Estado. A Embrapa Pecuária Sudeste é o primeiro centro de pesquisa da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) a dispor desse tipo de laboratório. Segundo a pesquisadora Ana Rita de Araújo Nogueira, responsável pelas instalações, além do tratamento de resíduos dos laboratórios de análises químicas, o investimento realizado permitiu também a implantação de um programa de gerenciamento desses resíduos, com a adoção de técnicas menos poluentes de análises, maior reciclagem e reutilização de materiais e o lançamento de menor volume de gases na atmosfera (vapores ácidos e orgânicos). Segundo ela, um extrator de gordura reduziu em 90% o uso de solventes. Tudo isso, de acordo com Ana Rita, vai levar a mudanças na cultura ambiental da empresa, com a participação e treinamento de todos os empregados, estagiários e estudantes. O laboratório faz parte do Programa de Infra-Estrutura para Tratamento de Resíduos Químicos, da Fapesp, que contemplou, além da Embrapa, mais 18 instituições paulistas de pesquisa.