Notícia

O Expresso Online

Laboratório de análise de ácaros atenderá produtores em Campinas

Publicado em 11 dezembro 2009

O Instituto Biológico, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, coloca à disposição dos produtores paulistas um laboratório de Acarologia, que realizará análises de produtos para exportação e também atenderá na identificação de ácaros, provocadores de pragas e doenças, que atacam as plantações. O laboratório foi inaugurado no dia 30/11, na sede do Instituto Biológico, em Campinas.

O laboratório faz parte do processo de modernização e credenciamento dos institutos de pesquisa agropecuária do Governo do Estado. Neste laboratório foram investidos em obras de infraestrutura R$ 100.000,00, e a Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e CNPq também contribuíram na compra de equipamentos e reagentes, além de pagamento de bolsas de pós-doutorado, mestrado e iniciação científica para os estudantes que auxiliam na condução dos trabalhos no laboratório.

Segundo o diretor do Instituto Biológico, Antonio Batista Filho, sua importância está relacionada ao fato de que o número de novas espécies de ácaros fitófagos, reconhecidamente importantes como pragas ou vetores de vírus, tem aumentado consideravelmente nos últimos anos no Brasil. Dentre estas espécies, ele cita a Raoiella indica (ácaro vermelho das palmeiras), Schizotetranychus hindustanicus (ácaro hindu dos citros), Eriophyes litchii (ácaro da erinose da lichia), já presentes no Brasil.

Para as duas primeiras espécies, pesquisadores do Instituto, em parceria com Ministério da Agricultura e Embrapa Roraima, têm realizado ações visando à contenção e controle das pragas na região onde elas já estão presentes (Roraima). Caso essas espécies se disseminem pelo país, podem causar prejuízos econômicos imensos à produção de coco, ele chega a reduzir a produção em 50%, afirma Batista. Além das espécies novas, diversos ácaros fitófagos, como o da leprose dos citros causa gastos anuais de US$ 60 a 100 milhões apenas com a aplicação de acaricidas para o seu controle.

Para esses ácaros-praga, os pesquisadores do Instituto Biológico têm concentrado esforços para solucionar ou minimizar os problemas causados, desenvolvendo pesquisas com o uso de inimigos naturais, como ácaros predadores da família Phytoseiidae. Além disso, os pesquisadores têm realizado um número considerável de palestras e cursos de treinamento sobre identificação e manejo de ácaros no Estado de São Paulo e outros Estados do país.