Notícia

Jundiaí Agora

Jundiaí inicia pesquisa científica sobre melhorias no envelhecer

Publicado em 12 setembro 2019

O Celmi (Centro de Educação e Lazer para Melhor Idade), em parceria com o ISGames, traz para Jundiaí a pesquisa Utilização de Games Visando Estimulação Cognitiva em População Acima de 50 anos, apoiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). O estudo, que tem como objetivo trazer melhorias no envelhecer, vai atingir uma centena de pessoas a partir dos 50 anos de idade em quatro segundas-feiras de setembro (2, 9, 16 e 23), das 14h às 19h, para serem reavaliadas em seis meses, em entrevistas das pesquisadoras Carla Oda, Fabiana Satiro e Maria Elisa de Silveira Monteiro, ligadas ao programa PIPE 2, da Fapesp.

“Estaremos a caminho de completarmos 20 anos em 2020, mas precisamos nos manter atualizados com as inovações”, afirma Orlinda Silva, gerente do CELMI – Centro de Educação e Lazer para a Melhor Idade.

As pesquisas anteriores, feitas com apoio do PIPE 1 em parcerias como Unicamp e Unifesp, focaram na plasticidade do cérebro no aprendizado em toda a vida – inclusive melhorando a concentração e o raciocínio lógico com o uso e ainda mais com o desenvolvimento direto de videogames pelos usuários, como mostrou o coordenador da IS Games, Fábio Oda.

Esses conhecimentos já estão aplicados em cursos do CELMI. O curso é realizado em computadores, entre as 50 atividades do local, pelas professoras Adriana e Daiane.

A nova pesquisa usa o aplicativo de celular recém-lançado pela ISGames no dia 31 de agosto e propõe desenvolver games para estimulação cognitiva produzidos pela equipe técnica – em conjunto com a equipe de pesquisa. Os participantes receberão, além dos games, dicas e orientações sobre exercício de respiração, meditação e saúde em geral.

O objetivo é analisar as diferenças que ocorrem na atenção, concentração, funções executivas, memória, linguagem, habilidades viso-construtivas, conceituação, cálculo e orientação, e estado depressivo após a estimulação para o uso diário (de 30 minutos a 2 horas) do aplicativo desenvolvido.

“Nossa vocação é sermos uma referência para a disseminação de inovações, sem perdermos a conexão entre envelhecimento ativo e patrimônio histórico”, afirma o presidente do conselho do Instituto Envelhecer, Eusébio Pereira dos Santos.

O Celmi fica na avenida União dos Ferroviários, 2.100, Complexo Fepasa. Mais informações pelo telefone (11) 4523 0467, pelo whatsapp 9 7096 5687 ou pelo email contato@institutoenvelhecer.org.br. (Texto: José Arnaldo de Oliveira/Foto: Youtube)