Notícia

O Popular (Goiânia, GO) online

Jovens brasileiros vão representar o país na Imagine Cup

Publicado em 15 maio 2007

Uma mesa em braille, linguagem utilizada por deficientes visuais, especialmente criada para permitir acesso a leitura e navegação em redes sem fio. A invenção criada por alunos da Universidade de Pernambuco (UPE) e do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), em São Paulo, foi escolhida para representar o Brasil na final da Imagine Cup 2007, a Copa do Mundo da Computação, que será realizada em agosto, na Coréia do Sul.

O projeto, denominado "KnowTouch", foi eleito na quarta-feira, após dois dias de apresentação de trabalhos e inventos da etapa nacional da competição, em São Paulo. Criada pela equipe Oysterix SD Team, a mesa é conectada via rede sem fio (wireless) a um servidor, que contém livros e periódicos arquivados. No painel da mesa há pinos, que sobem e descem de acordo com o produto escolhido, permitindo a leitura.

A jovem Raquel Melo de Almeida, integrante da Oysterix SD Team, afirmou que o alto nível de qualidade dos competidores mostrou que o Brasil está à frente na área de inovações tecnológicas, já que a diferença entre as notas que elegeram o primeiro e o segundo lugar foi muito pequena. Para a jovem inventora, de 25 anos, eventos como a "Imagine Cup" dão muita visibilidade aos brasileiros.

- Existem várias instituições públicas, como a Fapesp e o CnPq que apóiam estes trabalhos, mas este papel das instituições privadas, como a Microsoft, é importante para dar visibilidade. A Imagine Cup abre muitas portas para todos os competidores, não só para os primeiros colocados - explicou Raquel, que partiu de Recife para São Paulo em fevereiro de 2006 para cursar mestrado em Engenharia Mecatrônica no ITA.

O grupo, que vem trabalhando no invento deste o último semestre do ano passado, quer aperfeiçoar o projeto para que sua comercialização seja possível, independentemente do resultado que será obtido na Coréia, afirmou Raquel.

O Brasil foi o país que teve o maior número de inscritos no mundo: 35.832. Os trabalhos da etapa mundial ganharão de US$ US$ 8 mil a US$ 25 mil. O Brasil superou em número de inscrições países como China, Índia e Estados Unidos.

O segundo lugar da disputa ficou com o projeto e-du, uma plataforma que permite a alfabetização digital em massa utilizando interatividade e automação, criação da equipe Trivent Dreams, formada pelos estudantes André Furtado, Carlos Rodrigues, Ivan Cardim e Roberto Sonnino, da Universidade Federal de Pernambuco e da Universidade de São Paulo (USP). Já a terceira colocação ficou com alunos das instituições FATEC, Centro Universitário Salesiano de São Paulo, Centro Universitário Salesiano de Campinas e FAC II. O projeto Mosaico, desenvolvido por eles, é uma solução de alta tecnologia que permite melhorar o processo de avaliação dos alunos.

A Imagine Cup, voltada para estudantes de mais de 90 países, tem o objetivo de criar oportunidades para os futuros profissionais. O tema da edição da competição deste ano é "Imagine um mundo onde a tecnologia pode oferecer uma melhor educação para todos".