Notícia

Correio Popular (Campinas, SP) online

Jovem de 21 anos tem artigo publicado na Science

Publicado em 02 abril 2010

O estudante Ricardo Barroso Ferreira tem apenas 21 anos, mas já conseguiu publicar seu primeiro artigo na revista Science, uma das publicações de maior prestígio na comunidade científica internacional. O aluno do quarto ano do Instituto de Química da Unicamp fez um intercâmbio na Universidade da Califórnia, em Los Angeles, e participou de um projeto que resultou na criação de um cristal sintético tridimensional capaz de capturar emissões de dióxido de carbono. Este gás é apontado como um dos principais poluentes presentes na atmosfera. Seu orientador, Omar M. Yaghi, e os pesquisadores norte-americanos Hexiang Deng, Christian J. Doonan, Hiroyasu Furukawa, John Towne, Carolyn B. Knobler e Bo Wang assinam o artigo, publicado na edição de 12 de fevereiro. "Acho que a importância é a mesma de ter o reconhecimento de seu trabalho em nível internacional. A Science, para as ciências, é uma das revistas de maior impacto atualmente e ter um trabalho publicado lá é algo que a maioria dos pesquisadores almeja", diz o universitário.

Ferreira, que é um dos estudantes mais jovens a conseguir a proeza, integrou durante três meses a equipe coordenada por Yaghi no Instituto de Nanossistemas da Universidade da Califórnia (Ucla), após ser selecionado na segunda chamada do Programa Piloto de Intercâmbio em Pesquisa para Bolsistas de Iniciação Científica da Área de Química da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) de 2008. "Trata-se de um grande reconhecimento, porque é raro um estudante de graduação ser coautor de um artigo na Science", disse Ferreira em entrevista ao Jornal da Unicamp.

O estudante disse que o seu objetivo no intercâmbio era aprimorar informações sobre os chamados "cristais esponja", uma classe de materiais criada por Yaghi no início da década de 1990. Segundo ele, esse material tem poros em nanoescala, nos quais é possível armazenar gases normalmente difíceis de transportar.

Os cristais concebidos por Yaghi são baseados na estrutura do DNA e combinam unidades orgânicas e inorgânicas. A ideia era criar um material capaz de converter dióxido de carbono em combustível ou separar o composto com alta eficiência. Os pesquisadores da Ucla tinham como meta modificar as estruturas dos materiais para conhecer suas aplicações. Ferreira foi o responsável pela síntese e a análise dos materiais.

Este é o segundo artigo assinado por Ferreira. No primeiro, o estudante escreveu sobre o desenvolvimento de um talco capaz de absorver quantidade razoável de sua massa em CO2. O artigo foi publicado na revista Langmuir da Sociedade Norte-Americana de Química. Os estudos conduzidos na Califórnia visam desenvolver um material para ser usado na captura de dióxido de carbono (CO2). O universitário conta que os testes feitos em laboratório, por um processo de afinidade do CO2 com sua superfície chamado de adsorção, pode armazenar grande quantidade deste gás. "Isto indica que o material poderia ser empregado na captura de emissões deste gás. O estudante Ricardo Barroso Ferreira tem apenas 21 anos, mas já conseguiu publicar seu primeiro artigo na revista Science, uma das publicações de maior prestígio na comunidade científica internacional. O aluno do quarto ano do Instituto de Química da Unicamp fez um intercâmbio na Universidade da Califórnia, em Los Angeles, e participou de um projeto que resultou na criação de um cristal sintético tridimensional capaz de capturar emissões de dióxido de carbono. Este gás é apontado como um dos principais poluentes presentes na atmosfera. Seu orientador, Omar M. Yaghi, e os pesquisadores norte-americanos Hexiang Deng, Christian J. Doonan, Hiroyasu Furukawa, John Towne, Carolyn B. Knobler e Bo Wang assinam o artigo, publicado na edição de 12 de fevereiro. "Acho que a importância é a mesma de ter o reconhecimento de seu trabalho em nível internacional. A Science, para as ciências, é uma das revistas de maior impacto atualmente e ter um trabalho publicado lá é algo que a maioria dos pesquisadores almeja", diz o universitário.

Ferreira, que é um dos estudantes mais jovens a conseguir a proeza, integrou durante três meses a equipe coordenada por Yaghi no Instituto de Nanossistemas da Universidade da Califórnia (Ucla), após ser selecionado na segunda chamada do Programa Piloto de Intercâmbio em Pesquisa para Bolsistas de Iniciação Científica da Área de Química da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) de 2008. "Trata-se de um grande reconhecimento, porque é raro um estudante de graduação ser coautor de um artigo na Science", disse Ferreira em entrevista ao Jornal da Unicamp.

O estudante disse que o seu objetivo no intercâmbio era aprimorar informações sobre os chamados "cristais esponja", uma classe de materiais criada por Yaghi no início da década de 1990. Segundo ele, esse material tem poros em nanoescala, nos quais é possível armazenar gases normalmente difíceis de transportar.

Os cristais concebidos por Yaghi são baseados na estrutura do DNA e combinam unidades orgânicas e inorgânicas. A ideia era criar um material capaz de converter dióxido de carbono em combustível ou separar o composto com alta eficiência. Os pesquisadores da Ucla tinham como meta modificar as estruturas dos materiais para conhecer suas aplicações. Ferreira foi o responsável pela síntese e a análise dos materiais.

Este é o segundo artigo assinado por Ferreira. No primeiro, o estudante escreveu sobre o desenvolvimento de um talco capaz de absorver quantidade razoável de sua massa em CO2. O artigo foi publicado na revista Langmuir da Sociedade Norte-Americana de Química. Os estudos conduzidos na Califórnia visam desenvolver um material para ser usado na captura de dióxido de carbono (CO2). O universitário conta que os testes feitos em laboratório, por um processo de afinidade do CO2 com sua superfície chamado de adsorção, pode armazenar grande quantidade deste gás. "Isto indica que o material poderia ser empregado na captura de emissões deste gás.