Notícia

O Tempo

Jornalismo é tema de dois livros

Publicado em 19 setembro 2002

Por VÍTOR HUGO MUNAIER - REPÓRTER
O jornalismo, sob diferentes aspectos, é o tema comum de duas obras que serão lançadas hoje e amanhã em livrarias da cidade. "Textuações - Ficção e Fato no Novo Jornalismo de Tom Wolfe", do jornalista e professor Fernando Resende, sai pela editora Fapesp em parceria com a Annablume, na coleção Selo Universidade, e tem lançamento hoje. "O Ombudsman e o Leitor", que o também jornalista e professor Jairo Faria Mendes publica pela O Lutador, será autografado por ele amanhã. Adaptações para o formato de livro da dissertação de mestrado de Resende, defendida em 1995 na Universidade Federal de Minas Gerais, deram origem a "Textuações". Esse estudo surgiu de minha curiosidade em relação ao texto jornalístico, às suas técnicas, normas. O tema foi decidida quando resolvi fazer mestrado em Letras", lembra o autor, que investigou, a partir das experiências de Tom Wolfe, as relações entre o texto literário, fictício, e o texto jornalístico, que teoricamente deve ater-se ao real, aos fatos. "Tom Wolfe foi um personagem importante na época do Novo Jornalismo", lembra Resende, citando um dos principais fundadores daquela que ficou conhecida como uma nova forma de fazer jornalismo nos EUA dos anos 60, com a libertação das amarras textuais e flertes com a literatura como principais pilares. "Certa vez, quando foi fazer uma matéria sobre uma feira de automóveis na Califórnia. Tom Wolfe descobriu que não conseguiria escrever um texto nos moldes tradicionais. No dia seguinte, o texto saiu na íntegra da forma como ele enviara, fora dos padrões", exemplifica Resende, citando um caso real em que esse tipo de conflito aflige os jornalistas em seu cotidiano. CARACTERÍSTICAS Para o autor, "Textuações" tem duas características relevantes. "Uma, do ponto de vista prático, é para que os estudantes do tema entendam que o jornalismo não é feito de um texto só, há várias possibilidades. Outra, do ponto de vista teórico, é mostrar que o texto jornalístico é constituído tanto de uma realidade quanto de uma ficção, recriações mesmo", argumenta Resende. O autor atualmente é coordenador do curso de graduação em jornalismo do Centro Universitário do Leste de Minas Gerais (Unileste), e também coordenador do curso de pós-graduação Jornalismo e Práticas Contemporâneas do Centro Universitário de Belo Horizonte (Uni-BH). Fernando Resende já ampliou suas preocupações da ordem jornalismo/literatura em estudo posterior, quando elaborou a tese de doutorado "O Olhar às Avessas - A Lógica do Texto Jornalístico", que, por enquanto, não foi publicada. AGENDA - Lançamento do livro "Textuações - Ficção e Fato no Novo Jornalismo de Tom Wolfe", do jornalista e professor Fernando Resende (ed. Fapesp/Annablume, 128 págs., R$ 15), na Livraria Travessa Savassi (av. Getúlio Vargas, 1.405, tel. 3223-8092). Hoje, às 19h OMBUDSMAN AINDA É RARIDADE NO PAÍS Se o grande público consumidor de notícias brasileiro não conhece bem a figura do ombudsman é porque por aqui ela é recente e anula rara nos meios de comunicação, Esse é uma das constatações do professor e jornalista Jairo Faria Mendes, que lança amanhã "O Ombudsman e o Leitor", livro no qual analisa a presença do defensor dos leitores na mídia nacional, comparando-a com a ocorrência desse profissional no exterior. "No Brasil, a principal constatação é a do medo que tem a mídia, de forma geral, a instalar o ombudsman", afirma Mendes, lembrando que a primeira experiência nacional foi feita pelo jornal "FOLHA DE SÃO PAULO", em 89, que até hoje a mantém. AGENDA - Lançamento de "O Ombudsman e o Leitor", de Jairo Faria Mendes (ed. O Lutador, 104 págs., R$ 15), na livraria Ouvidor (rua Fernandes Tourinho, 253, Funcionários, tel. 3221-7473). Amanhã, às 19h