Notícia

Jornal da Unesp online

Jogo virtual simula criação de empresa

Publicado em 23 março 2009

Antes de encarar o mercado de trabalho, que tal testar os conhecimentos obtidos na faculdade em um jogo de computador que simula a criação de uma empresa? Esta é a proposta do Mercado Virtual, que oferece uma vivência dos processos decisório e administrativo a universitários das áreas de Finanças, Economia, Contabilidade, Administração e Administração da Produção. O programa foi desenvolvido há três anos por pesquisadores da Faculdade de Engenharia (FE), câmpus de Bauru, e vinha sendo testado no âmbito interno.

Autor do projeto, o engenheiro José de Souza Rodrigues, do Departamento de Produção, explica que o jogo foi desenvolvido para oferecer uma visão de atuação profissional aos alunos, além de demonstrar que esse tipo de jogos é um recurso didático flexível. “Eles podem ser explorados de diversas formas e aumentam as possibilidades de melhora no processo de ensino-aprendizagem”.

Sobre o produto

O Mercado Virtual foi elaborado por meio de uma parceria entre o Colégio Técnico Industrial Isaac Portal Roldán (CTI), ligado à FE, e o Departamento de Produção. Ganhou sua versão definitiva somente em 2006, ao receber apoio da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo). Foi projetado para ser usado em laboratório com acesso à internet e, pode tanto apoiar aulas presenciais quanto servir de vivência em plataformas de educação a distância.

A parceria aproveita o melhor de cada instituição. “Enquanto o CTI domina os conceitos tecnológicos relacionados a linguagens e códigos de programação de computadores, o Departamento de Produção trabalha com os fundamentos teóricos envolvidos na elaboração do modelo de referência do jogo”, afirma Rodrigues.

Estratégia do jogo

A meta principal do aluno é criar sua própria empresa virtual e administrá-la dentro de um mercado também virtual. Após o cadastramento no sistema, o jogador já toma suas primeiras decisões, definindo, por exemplo, o tamanho de sua empresa, que é determinado pela capacidade de processamento de produtos, do número de equipamentos adquiridos e de operários contratados.

Em seguida, com base nos resultados obtidos (enviados em forma de relatórios), o participante faz uma nova jogada, na qual procura melhorar seu desempenho no mercado. O processo se repete até o encerramento da competição, quando é definido o vencedor. “Fornecemos ao aluno apenas uma verba inicial, com a qual ele deverá montar sua empresa", lembra. "É um procedimento semelhante ao do início de um negócio na vida real”, explica o professor.

Por ser um jogo ambientado na internet, seu uso exige acesso à rede e a um computador equipado com softwares para abrir documentos em extensão pdf, formato do manual do jogo. Os cálculos necessários podem ser feitos com o auxílio de calculadora que tenha as operações básicas.

A iniciativa de criar o jogo, conta Rodrigues, surgiu de algumas experiências da faculdade com jogos de empresas, como o Desafio Sebrae, no qual estudantes de todo o país competem para ver qual grupo obtém os melhores resultados gerenciando uma empresa virtual. A última edição do desafio foi vencida por alunos da Unesp de Sorocaba.

“No início dos testes, os jogos similares eram pagos e com custos altos, fora da nossa realidade", diz o criador do game. Segundo explica, os jogos gratuitos estavam em outra língua, ou dependiam do cronograma do fornecedor, ou não ofereciam liberdade para adequar o uso do sistema às necessidades do curso. "Então optamos por iniciar o desenvolvimento do  Mercado Virtual”, conta.

Além de Rodrigues, a equipe também conta com Kátia Lívia Zambon, analista de sistema e coordenadora de habilitação do CTI, Ariane Scarelli, administradora de empresa e coordenadora de estágio, além de alguns alunos do ensino médio do colégio.

Mercado Virtual - Informações: Tel.: 14-3103-6122 ou 14-3203-6146 / jsrod@feb.unesp.br