Notícia

Jornal do Brasil

Jogo online brasileiro ensina física

Publicado em 17 maio 2010

Por Fábio Reynol

Uma espaçonave de dimensões subatômicas tem a missão de capturar partículas, identificá-las, e usá-las para montar estruturas atômicas em outro planeta. Essa é parte da missão do Sprace Game, um jogo de computador projetado por físicos do Centro Regional de Análise de São Paulo (Sprace), da Universidade Estadual Paulista (Unesp), com o objetivo de transmitir conceitos de física de partículas para o público leigo.

O jogo pode ser acessado no endereço eletrônico

O professor do Instituto de Física Teórica da Unesp Sérgio Ferraz Novaes, coordenador do Sprace, diz que o jogo faz parte de um esforço para levar aos alunos de ensino médio informações atuais sobre física de partículas.

- As informações escolares sobre estrutura da matéria estão defasadas em quase um século — comenta Novaes.

Plataformas

Projetado em linguagem Java, o Sprace Game consegue rodar em qualquer computador com sistemas operacionais Windows, Linux, ou Mac. O programador do jogo, Ulisses Bebianno de Mello explica que há três versões de resolução para que até máquinas um pouco mais antigas possam receber o jogo.

- Conseguimos rodar a versão mais básica em um Pentium 1,3 Ghz, com 512M de memória RAM. Acreditamos que a configuração mínima para o jogo seja essa — diz Mello.

Por rodar em plataformas enxutas, o Sprace Game pode servir como ferramenta de ensino em escolas e instituições com poucos recursos, necessitando apenas do acesso à internet.

Ao passar pelas quatro fases do Sprace Game, o jogador tem que capturar, com sua espaçonave, partículas subatômicas; levá-las a um laboratório para que sejam identificadas; descobrir do que são formadas as partículas compostas chamadas de hádrons; e recombinar quarks para formar pró-tons e nêutrons.

Com eles, o jogador consegue montar núcleos atômicos de hidrogênio e oxigênio, a fim de produzir um recurso fundamental para a colonização do planeta explorado, a água.

Uma das fases mais interessantes é a segunda, na qual o jo-gadordeve encontrareperseguir a partícula e observar o seu decaimento, que é a decomposição em outras subpartículas no fim de seu tempo de vida. São essas subpartículas que o jogador deverá capturar.

O produto final foi testado e aprovado por alunos do ensino médio. O sucesso inicial demonstra o acerto na escolha do jogo eletrônico como mídia para divulgar a física de partículas, segundo Novaes.

Para ele, trata-se de conceitos intrincados e que precisam ser apresentados de forma lúdica.

- Filmes, livros e quadrinhos já foram feitos com esse objetivo, mas o videogame é muito mais eficaz nesse aspecto — acredita o professor.

O Sprace Game tem despertado o interesse em outros países. Uma versão em inglês está sendo finalizada para dar origem a traduções para outros idiomasv Pesquisadores de França, Áustria, Portugal, República Tcheca e EUA entraram em contato com Novaes para saber mais sobre o jogo.

Agência Fapesp