Notícia

Revista Amazônia

Jogo de celular ajuda vestibulandos a estudar brincando

Publicado em 02 abril 2019

O grupo de desenvolvimento de jogos educacionais Ludo Educativo (www.ludoeducativo.com.br), vinculado ao Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF), sediado na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), acaba de lançar o Ludo Simulado, jogo eletrônico voltado a estudantes do Ensino Médio, visando apoiá-los na preparação para vestibulares. O aplicativo conta com mais de 10 mil questões de diversas áreas, como Química, Física, Biologia, Matemática, História e Geografia, dentre outras.

O aplicativo fornece ao estudante um relatório no final, com informações como tempo médio utilizado por questão e o tempo total para a resolução das questões. É possível, também, fazer um simulado com limite de tempo, no qual o aplicativo informa o estudante de quanto tempo restante ele tem para finalizar, permitindo que ele treine seu tempo para os vestibulares.

A Diretoria Regional de Ensino de São Carlos enviou circular para diretores, vice-diretores, coordenadores e professores indicando o uso do aplicativo para treinamento dos estudantes de Ensino Médio da rede pública de ensino. O Ludo Simulado pode ser baixado gratuitamente na Google Play, através do link http://bit.ly/ludosimulado.

Ludo Educativo

O Ludo Educativo surgiu em 2012 e tem jogos gratuitos sobre diversos assuntos presentes no dia a dia de crianças e adolescentes. A equipe do projeto é formada por designers, programadores e pedagogos da Aptor Software, empresa spin-off do CDMF. A plataforma do Ludo Educativo possui, atualmente, mais de 62 jogos, divididos

em diversas categorias. Além disso, disponibiliza o Ludo Escola, que permite aos professores criar avaliações para inserir nos jogos já criados.

O CDMF (cdmf.org.br) é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepid) apoiados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), sediado na UFSCar, e recebe investimento também do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a partir do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia dos Materiais em Nanotecnologia (INCTMN). O Centro configura-se como rede de pesquisa entre UFSCar, Universidade Estadual Paulista (Unesp), Universidade de São Paulo (USP) e Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN).