Notícia

Instituto de Pesca

Já pensou o salmão ser produzido no Brasil?

Publicado em 03 agosto 2020

Pesquisa utiliza a truta arco-irís como barriga de aluguel para a produção do salmão em águas brasileiras

O salmão e truta são objetos de estudos científicos da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, que mantém há mais de 50 anos a Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento de Campos do Jordão do Instituto de Pesca, referência no Brasil e exterior em pesquisa com salmonídeos.

A unidade desenvolveu projetos de pesquisas na área de biotecnologia, que permitiu resultado inédito que pode viabilizar a produção de salmão do Atlântico em águas brasileiras por meio de processo de aceleração da reprodução do peixe. A pesquisa inédita do Instituto de Pesca possibilitou a geração de alevinos de salmão do Atlântico em dois anos, o que em processo natural, são necessários quatro anos para a reprodução.

O projeto utiliza a truta arco-íris como barriga de aluguel para a produção do salmão. A técnica permite ainda acelerar o processo de melhoramento genético. O estudo foi liderado pelo cientista do programa Jovem Pesquisador em Centros Emergentes da FAPESP, Ricardo Hattori, entre 2015 e 2019.

No Brasil, a dificuldade em se produzir salmão é devido a temperatura das águas dos rios. De acordo com a pesquisadora Yara Aiko Tabata, os salmonídeos, que englobam salmões e trutas que existem no país fazem o ciclo de vida completo em água doce. A truta, em específico, tem seu cultivo mais difundido no Brasil, devido ao fato de que ela já se encontra aclimatada e apresenta bons índices reprodutivos em águas de 10°C a 12°C. Em contrapartida, o salmão do Atlântico requer temperaturas em torno de 8°C. “O fato de não encontrar em nossas águas temperaturas compatíveis para sua reprodução natural, pode ser considerado uma condição interessante para que a espécie venha ser empregada como alternativa na pesca recreativa, sem riscos para o meio ambiente, em caso de eventuais escapes”, relata Yara, em matéria divulgada no site do Governo de São Paulo.

A zootecnista do programa Aqua Negócios, Daniela Nomura, alerta sobre cuidados. “A introdução de espécies exóticas sempre deve ser feitas com muita cautela, já que podem representar alguns riscos para o ecossistema. Mas, é interessante sempre pesquisar espécies de interesse econômico, como o salmão, que é muito apreciado. A truta já produzida aqui no Brasil, por exemplo, vem ganhando muito espaço e há produtividade com um diferencial de valor agregado. Sobre a técnica da barriga de aluguel é bem bacana e já é usado também em espécies nativas ameaçadas de extinção. Em Pirassununga, usam o lambari como barriga de aluguel para reproduzir pacu. O Brasil tem um grande potencial para a produção de peixes”, ressalta.

Veja a maéria na Fish TV.

Fonte: Fish TV, 30 julho 2020 (https://www.fishtv.com/noticias/aquicultura/ja-pensou-o-salmao-ser-produzido-no-brasil)