Notícia

Jornal da Ciência online

Ivair Gontijo: no fuso de Marte

Publicado em 07 maio 2021

Engenheiro mineiro é um dos responsáveis pelo monitoramento do jipe-robô Perseverance que está em busca de vestígios de vida em Marte

Há pouco mais de dois meses, pela primeira vez a humanidade pôde ouvir sons do vento da superfície de Marte, o vizinho mais próximo da Terra no Sistema Solar. Os áudios foram captados dentro da cratera Jezero pelo rover Perseverance (perseverança). Esse veículo exploratório é o quinto e mais sofisticado jipe-robô construído pela Nasa, a agência espacial norte-americana, e sua missão é encontrar vestígios de vida microbiana que possa ter existido no planeta. Para isso, conta com instrumentos de última geração, entre eles um aparelho que faz imagens em alta resolução, captura áudios e identifica os elementos químicos e os minerais presentes nas rochas e no solo marciano.

O desenvolvimento do instrumento, batizado de SuperCam, teve participação decisiva do físico e engenheiro brasileiro Ivair Gontijo. “Fui o responsável por todas as interfaces entre o aparelho e o veículo, protagonista da missão Marte 2020. Fiz a ponte entre um grupo internacional de pesquisadores encarregado de desenvolver o aparelho e meus colegas na Nasa que projetaram e construíram o Perseverance”, diz Gontijo. Desde que o rover pousou, ele trabalha no fuso marciano, monitorando as imagens e os dados enviados pelo instrumento.

Essa é a segunda participação do cientista em missões da Nasa a Marte. Apaixonado desde criança por astronomia, Gontijo nasceu há 60 anos em Moema, cidade de 4 mil habitantes em Minas Gerais, e iniciou a vida profissional em uma fazenda de criação de gado e cavalos.

Leia a íntegra: Pesquisa Fapesp