Notícia

Partido Pirata

IV ANAPIRATA: Programação

Publicado em 31 outubro 2021

Por toledo

Programada para os dias 05, 06, 07 e 08 de novembro, a IV ANAPIRATA será a primeira edição da Assembleia Nacional do Partido Pirata realizada de forma online. Serão diversos painéis que contarão com a presença de associados do Partido Pirata e de convidados especiais além dos espaços para discussões internas.

As inscrições deverão ser feitas através do site https://anapirata.partidopirta.org/

Veja a programação:

05/11 – Sexta-feira 19h – Abertura 20h – Entrando na mente: Como usar os jogos digitais nas lutas políticas?

Daniel Valentim apresenta como os jogos digitais podem ser aliados (ao invés de obstáculos) na formação da consciência crítica e do olhar reflexivo.

Apresentação:

Daniel Valentim – Licenciado em Ciências Sociais (UECE); Mestrado e Doutorado em Sociologia (UFC). Idealizador do jogo Lutas Simbólicas e do coletivo Sementes Digitais.

Sábado

06/11 – Sábado 11h – Projeto “Chame a Frida”

Experiências no uso de tecnologias digitais no atendimento às vítimas de violência doméstica e justiça restaurativa.

Participantes:

Ana Freitas – Engenheira Civil, ativista por direitos digitais e ciberfeminista.

Ana Rosa – Bacharel em Direito, Pós-graduanda em violência doméstica, policial civil e idealizadora do projeto “Chame a Frida”.

Raiane Ferreira – Psicóloga, pós-graduada em dependência química e pós-graduanda em violência doméstica e idealizadora do projeto “Diálogos sobre Masculinidades: grupo de reeducação e conscientização para homens autores de violência doméstica”.

Sara Assis – Psicóloga, pós-graduanda em violência doméstica e psicóloga na APAC de Manhumirim e idealizadora do projeto “Diálogos sobre Masculinidades: grupo de reeducação e conscientização para homens autores de violência doméstica”.

14h – Combatendo o negacionismo com ciência

Os desafios de fazer ciência em tempos de negacionismo, e como a anticiência interfere em nossas vidas.

Os danos causados pelos excessivos cortes na Ciência no Brasil e a importância da pesquisa como ferramenta para a construção de uma sociedade crítica, autônoma e apta a produzir conhecimento.

Participantes:

Adauto Lima Cardoso – Biólogo doutor em Genética (UFPA, UNESP) e Pedagogo (UNICESUMAR). Atualmente realiza pós- doutorado (UNESP-FAPESP).

Jordana Oliveira – Formada em Biologia (UEPG), mestre e doutoranda em Genética (UNESP), divulgadora científica nos perfis @voandoaltociencia e @ciencia.brasileira.

Camila do Nascimento Moreira – Bióloga, Doutora em Genética pelo Instituto de Biociências – USP. Atualmente pesquisadora de Pós Doutorado no Instituto de Biociências da UNESP, Botucatu.

18h – Do Napster aos serviços de streaming e pirataria

Tal mesa tratará das transformações da indústria fonográfica: das mídias físicas e mercado tradicional ao streaming e distribuição independente, além dos impactos sobre artistas e público no contexto atual. O intuito aqui será debater a questão da democratização do acesso aos bens culturais, levando em conta a perspectiva dos músicos também, sobre como é a experiência de fazer música na era digital.

Participantes:

Felipe Machado – Editor de Cultura da revista Istoé, fundador e guitarrista da banda de rock VIPER

Felipe Payão – Editor de Conteúdo Original e Cibersegurança no TecMundo

Nanashara Piazentin – Advogada, mestranda em propriedade intelectual. Coordenadora de cultura livre do Creative Commons Brasil

Paulo Rená – Professor e pesquisador, foi gestor da elaboração coletiva do Marco Civil da internet

21h – Estrutura Nacional do Partido Pirata

Prestação de contas da atual gestão do Partido Pirata, seguindo exigências estatutárias e início da votação para a gestão 2021-2023

07/11 – DOMINGO 11h – Discussão Interna 14h – Educação Hacker

Recorte de uma pesquisa de doutorado, em fase de defesa, o painel apresenta a cultura hacker como outro mundo possível para a conscientização ativista na educação que investigou as possibilidades de abertura dos ambientes educacionais, por meio da educação hacker. O campo se deu numa escola pública e a metodologia se inspirou na “Pesquisa Formação na Cibercultura” (SANTOS, 2014). A tese propôs uma ampliação do conceito de Hacker para se pensar uma Educação Hacker.

Apresentação:

Elisiana Candion – Mãe do Gil e do Thomas. Professora de Arte na rede estadual de Minas. Mestra em Arte, Cultura e Linguagens pela Universidade Federal de Juiz de Fora e doutoranda em educação pela mesma instituição. Estuda as relações entre a cultura hacker e o campo educacional

18h – A importância dos HackerSpaces para o engajamento e formação política

O painel apresenta a Cultura Hacker como um outro mundo possível para a conscientização ativista, a partir de possibilidades educacionais materializado em HackerSpaces. Tese vencedora do prêmio Capes como melhor tese de Educação de 2019, a pirâmide da pedagogia hacker tem quatro faces específicas e inter-relacionais: uma técnica, uma afetiva, uma ideária e uma política.

Apresentação:

Ka Menezes – Pedagoga. Professora da Faculdade de Educação da UFBA (FACED/UFBA). Doutora em Educação pela FACED/UFBA. Integrante do Raul Hacker Club de Salvador-BA, idealizadora do “Crianças Hackers”. Mãe do Ian.

Man Filho – Ativista, pirata, hacker, sócio do Raul Hacker Club, estudante de Engenharia Elétrica (UFBA), tem formação avançada em Programação em Neurolinguística, experiência em Segurança da Informação, Engenharia Social e Desenvolvimento Humano.

21h – Hardware Livre

Uma discussão sobre os paradigmas de produção e consumo de hardware, que transformam o hacker de fundo de garagem em inovador em potencial, e o papel dos Hackerspaces e demais coletivos de tecnologia na adoção e popularização do hardware livre.

Apresentação:

Joel Grigolo – Sociólogo (UFRGS) e membro fundador do MateHackers, é reconhecido no meio Hacker/Marker como entusiasta de eletrônica e embarcados bem como ativista do conhecimento livre. Geralmente encontrado ao longo dos últimos cinco anos torturando plateias universitárias no RS, SC, MG ou Alemanha e Argentina. Foi o idealizador e executor do Cine Theatro Remix, possui obras em conjunto com o artista plástico Estevão da Fontoura(em exposição no MARGS) e solucionador de criatividade tecnológica para diversos outros artistas.

08/11 – SEGUNDA-FEIRA 19h – O menino da internet

Transmissão do documentário “O Menino da Internet: A História de Aaron Swartz” em homenagem ao aniversário de Aaron Swartz. Na sequência, mesa redonda sobre colaboratividade, compartilhamento e direito do acesso à cultura e informação

Participantes:

Chico Prates – Tecnólogo em TI, integrante do Partido Pirata há quase 10 anos. Ativista e entusiasta de software e hardware livre e da livre circulação do conhecimento.

Cybelle Oliveira – Pesquisadora do que acontece na malwarelândia, crazy cat lady, ativista e defensora da privacidade. Uma das diretoras da Casa Hacker, faz parte da comunidade Mozilla e é embaixadora/ curadora do Mozilla Festival.

Joel Grigolo – Sociólogo (UFRGS) e membro fundador do MateHackers, é reconhecido no meio Hacker/Marker como entusiasta de eletrônica e embarcados bem como ativista do conhecimento livre. Geralmente encontrado ao longo dos últimos cinco anos torturando plateias universitárias no RS, SC, MG ou Alemanha e Argentina. Foi o idealizador e executor do Cine Theatro Remix, possui obras em conjunto com o artista plástico Estevão da Fontoura(em exposição no MARGS) e solucionador de criatividade tecnológica para diversos outros artistas.

Leo Foletto – Jornalista e pesquisador, editor do BaixaCultura, cordenador geral do Creative Commons Brasil e autor de “A Cultura é Livre” (2021).