Notícia

Cidade de Marília.Com

IPT Open Experience, projeto do (CITI) será implantado no Estado de São Paulo

Publicado em 27 dezembro 2019

Iniciativa tem previsão de início de atividades em 2020 e conectará empresas, startups e pesquisadores no mesmo ambiente

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas , vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado, abre as portas para empresas e empreendedores que pretendem resolver os desafios tecnológicos em um ambiente de pesquisa e inovação, por meio do IPT Open Experience .

A iniciativa tem previsão de início das atividades em 2020 e busca desenvolver o sistema de inovação de São Paulo com uma nova proposta em soluções tecnológicas, ao conectar empresas, startups e pesquisadores no mesmo ambiente.

“O IPT Open Experience é a pedra fundamental do projeto do Centro Internacional de Tecnologia e Inovação (CITI). Em vários lugares do mundo, como no Vale do Silício, nos Estados Unidos, Israel, Espanha e Toronto, no Canadá, entre outros, pessoas criativas ocupam o mesmo espaço físico para trabalhar”, salienta o diretor do IPT Open Experience, Rodrigo Teixeira.

“Em São Paulo, também estamos criando um distrito de inovação para reunir empresas parceiras, startups, instituições científicas e tecnológicas, investidores e agentes de fomento”, reforça Teixeira. A iniciativa potencializa o projeto CITI e começa no campus do IPT na Cidade Universitária da Universidade de São Paulo (USP), na capital paulista.

Como participar

Por meio do próprio site, o IPT apresenta dois chamamentos públicos para empresas interessadas em se instalar no local. Um dos editais é para Centros de Inovação, abertos a candidaturas empresariais para criação de um centro de pesquisa e desenvolvimento, interagindo em parceria com profissionais do instituto. Outra modalidade é o Hub de Inovação, para inserção de empresas e aceleração de startups.

O edital de concorrência diz respeito à contratação de pessoa jurídica para prestação de serviços de gestor operacional do hub de inovação do programa, pelo período de cinco anos, compreendendo o desenvolvimento das atividades especificadas no edital e no termo de referência.

O chamamento e o edital têm diversas páginas de documentos, com formulários específicos para cada modalidade. Os interessados também poderão entrar em contato com o IPT Open Experience pelo e-mail iptopen@ipt.br .

Distrito de inovação

Rodrigo Teixeira lembra que o local e o entorno, na zona oeste da capital. concentram uma grande massa crítica. “Ninguém inova sozinho, daí a importância de um ponto de encontro das competências acadêmica e do empreendedorismo com grande potencial para a inovação”, acrescenta.

“Essa é a primeira fase do CITI, que tem como foco o desenvolvimento e aplicação de tecnologias de hard tech e inovação. São Paulo já concentra o maior polo de inovação do Brasil, especialmente na área tecnológica, e a busca agora é que ele se torne o maior polo de inovação tecnológica do mundo”, afirmou a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen, durante o anúncio sobre a iniciativa, em julho deste ano.

Parcerias

Em novembro, o IPT Open Experience anunciou a instalação da Biovet Vaxxinova e de polos de pesquisa em parceria com o Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (C.E.S.A.R) e um Centro de Inovação no Instituto Butantan, vinculado à Secretaria da Saúde do Estado.

Recentemente, a empresa Qualcomm também confirmou sua participação no programa. Em 27 de novembro, três grandes projetos foram anunciados:

– Campo de uso de 5G: Focado em Testar novas tecnologias da área no campus inteiro do IPT;

– Centro de Desenvolvimento de internet das coisas (IoT);

– Proposta inicial para Inteligência Artificial (IPT+Qualcomm), a ser apresentado para a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

Já estão confirmadas no lançamento do campus no CITI as seguintes empresas: Qualcomm, Amazon, WEF, Singularity, Petrobras, BioVet, CESAR e o Gestor do Hub que implementou o InovaBRA Habitat.

Instituto Butantan

Com o acordo entre o Instituto Butantan e o IPT, são potencializados os ganhos em competências e escala por meio do compartilhamento de laboratórios e infraestrutura, abertura a pesquisadores, alunos e profissionais em projetos, valorização de empresas incubadas ou graduadas em projetos específicos, mobilização conjunta do ecossistema paulista de ciência, tecnologia, inovação e empreendedorismo, bem como a oferta de espaço e ações de interesse mútuo entre parceiros.

“Participar do IPT Open Experience neste contexto se alinha perfeitamente com a missão da instituição e representa a oportunidade de incentivar ativamente as atividades de inovação no estado de São Paulo”, avaliou o diretor do Instituto Butantan, Dimas Tadeu Covas, durante a formalização da parceria, em outubro.

De acordo com a pesquisadora Natalia Cerize, do Núcleo de Bionanomanufatura do IPT, a participação do Butantan no programa oferece várias possibilidades de cooperação tecnológica. “Trata-se de uma parceria relevante no desenvolvimento de produtos e processos para a área de saúde humana, trazendo um complemento importante para os laboratórios que atuam na área”, afirma a cientista, durante a formalização da parceria, em outubro.

Sobre o IPT

Com 120 anos de história, o IPT tem mais de mil profissionais, com cerca de 400 mestres e doutores que atuam de modo multidisciplinar, além de 40 laboratórios em 12 centros técnicos distribuídos nos 103,5 mil metros quadrados de área construída.

O instituto também conta com o Laboratório de Estruturas Leves, no Parque Tecnológico de São José dos Campos, e o Laboratório de Calçados e Produtos de Proteção, em Franca. Em 2018, o IPT atendeu mais de 2,9 mil clientes de todos os portes.

“O IPT é mais do que um grupo de cientistas especializados. É mais do que os 40 laboratórios incríveis. É uma família de cientistas que está unindo a razão com o coração. E o IPT Open Experience é um marco na ciência, na tecnologia, na pesquisa aplicada e na inovação em hard science do Estado de São Paulo para o Brasil”, completou Patricia Ellen, durante coletiva de imprensa que confirmou a primeira fase de novo centro tecnológico em 2020, em novembro deste ano.