Notícia

IDG Now!

IPT lança site com site exigências técnicas internacionais para exportação

Publicado em 23 novembro 2006

Proposta é divulgar todas as barreiras existentes em cada setor e contribuir para o aumento da exportação brasileira.

Exportar não se resume apenas a superar problemas tarifários. Mesmo com todas as questões burocráticas resolvidas, cada produto tem uma exigência particular que deve ser analisada cuidadosamente, de acordo com os regulamentos de cada país importador.
Para que responsáveis por micros, pequenas e médias empresas brasileiras possam adequar seus produtos ao comércio exterior, visando à redução de custos e à qualificação de produtos para obtenção de certificações internacionais, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) acaba de lançar o site Exigências Técnicas Internacionais.
"A proposta é divulgar todas as barreiras técnicas existentes em setores industriais variados e contribuir para o aumento da exportação brasileira", disse Sonia Wada, assessora da presidência do IPT e uma das responsáveis pelo desenvolvimento do site, à Agência FAPESP.
Segundo ela, devido ao alto grau de exigência, as regulamentações da Comunidade Européia são as mais utilizadas em todo o mundo. "Apesar de o site conter normas técnicas de diferentes mercados externos, a maioria dos produtos foi adequada às exigências dos países europeus, cujas diretivas são consideradas padrão mundial", explica.
As normas técnicas disponíveis no site foram analisadas pelo IPT, pela Fundação de Ciência e Tecnologia (Cientec), pela Sociedade Educacional de Santa Catarina (Sociesc) e pelo Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), durante a condução de casos do Programa de Apoio Tecnológico à Exportação (Progex). O Progex é um programa nacional financiado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) e pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) que envolve 11 instituições de pesquisa em dez estados brasileiros.
"São mais de 160 produtos adequados às exigências internacionais, cada um com sua listagem de diretivas e normas. Todos esses produtos já foram exportados e a idéia é aumentar o número de exemplos com a inserção das outras entidades que participam do Progex", explica Sonia.
Além das normas, o site apresenta vídeos e depoimentos de empresários que adequaram seus produtos e hoje os exportam. Os interessados podem entrar em contato com o Progex por meio do "fale conosco", no site, caso não encontrem as regras do produto desejado.
*Com informações da Agência FAPESP.