Notícia

Brasil Engenharia

Investindo no futuro revela resultados de Programa da FAPESP

Publicado em 27 outubro 2010

Fundação lança coletânea de resumos de projetos para criação de novos núcleos de pesquisa propostos no Programa Jovens Pesquisadores em Centros Emergentes

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, lançou em outubro a publicação Investindo no Futuro, com informações sobre 953 projetos apoiados por seu Programa Jovens Pesquisadores em Centros Emergentes. Criado em 1995, o Programa tem o objetivo principal de criar e fixar grupos de pesquisa e lideranças científicas em instituições de ensino superior e de pesquisa do Estado de São Paulo.

A publicação é distribuída a cientistas, instituições de pesquisa, gestores de C&T do país e profissionais interessados em recentes avanços da ciência e da tecnologia. Investindo no Futuro traz resumos de projetos desenvolvidos nas Ciências da Saúde, Biológicas, Agrárias, Humanas, Exatas e nas Engenharias, e uma série de reportagens publicadas pela revista Pesquisa FAPESP sobre seus resultados. A ampla gama de temas de pesquisa inclui o efeito de células-tronco na regeneração cardíaca, fármacos anticancerígenos, conservação da biodiversidade do cerrado, diagnóstico da febre amarela, doenças que atacam citros e células a combustível.

Na fronteira do conhecimento

A FAPESP investiu R$ 222 milhões no Programa Jovens Pesquisadores em Centros Emergentes até o final de 2009. Os projetos também buscam estimular pesquisa científica em temas novos no mundo, com inserção internacional, e atrair jovens doutores de outros países. Pesquisadores com doutorado, preferencialmente interessados em desenvolver pesquisas em instituições sem tradição na área de seu projeto, podem propor apoio da Fundação no Programa.

Para assegurar as melhores condições ao desenvolvimento das pesquisas por até quatro anos, os projetos podem contar com apoio financeiro complementar para participação de pesquisadores visitantes do Brasil ou do exterior, bolsas e investimento na infraestrutura dos centros emergentes onde são desenvolvidos.

Eficiência comprovada

Uma análise dos resultados do Programa Jovens Pesquisadores em Centros Emergentes realizada entre 2007 e 2008 pelo Grupo de Estudos sobre Organização da Pesquisa e da Inovação (Geopi), ligado ao Instituto de Geociências da Unicamp, mostrou desempenho compatível com as propostas do programa.

A avaliação de 86% dos projetos concluídos até 2007 revelou que dos 87% dos participantes sem vínculo de emprego, 61% foram contratados pelas instituições onde desenvolveram o projeto ou por outras instituições. A produção científica atingiu 1988 artigos publicados em revistas internacionais e 583 em nacionais, além de 42 livros e mais de cinco mil participações em reuniões científicas. Os projetos apoiados também tiveram impacto no fortalecimento de cursos de pós-graduação em São Paulo: mais de 90% dos jovens pesquisadores orientaram 4024 trabalhos acadêmicos durante o desenvolvimento das pesquisas.