Notícia

O Imparcial (Presidente Prudente, SP)

Investimentos podem chegar a US$ 600 mil

Publicado em 02 outubro 2002

Por Rodrigo Blini — Reportagem Local
O recém criado curso de Licenciatura em Física na FCT/Unesp de Presidente Prudente estará recebendo, nos próximos dois anos, investimentos que chegam a US$ 600 mil, oriundos do Fundo de Amparo a Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), a quatro jovens pesquisadores que trabalham no novo curso. Segundo o coordenador do curso de Licenciatura em Física, e doutor em Física, Silvio Rainho Teixeira, os investimentos são repassados através de materiais de pesquisa. "Vários equipamentos que recebemos, foi através destes investimentos, para estes jovens pesquisadores estarem desenvolvendo seus projetos". Os jovens pesquisadores recebem uma bolsa da Fapesp, para estarem desenvolvendo seus projetos, sendo que todos estudaram o pós-doutorado em países como o Canadá, a França e no Brasil. Entre os pesquisadores temos, Silvania Lanfredi, Marcos Augusto de Lima Nobre, Carlos José Leopoldo Constantino, Aldo Eloizo Job. Além dos US$ 600 mil, alguns outros pesquisadores já trouxeram mais investimentos no começo do ano para o curso que hoje conta com 27 alunos, já que três desistiram. "Além dos investimentos nós conseguimos trazer para trabalhar aqui em Presidente Prudente, professores e pesquisadores, que vieram de vários outros campi da Unesp e um da USP, o professor titular José Alberto Giacometti", disse o coordenador do curso. INFRA-ESTRUTURA Com sete doutores em Física, dois em Engenharia, dois em Química e Bioquímica, o curso conta com vários laboratórios, onde são desenvolvidos os projetos. Entre eles o mais forte, segundo relato de Teixeira, são os materiais, como polímeros que engloba o plástico e a borracha e a cerâmica, que conta com cera e borracha, pesquisa na área ambiental. Um dos laboratórios mais visitados é o de análises térmicas, que serve de suporte para todas as pesquisas. O curso que tem duração de quatro anos oferece aos alunos a oportunidade de iniciarem um projeto de iniciação científica a partir do segundo ano, onde o estudante é agraciado com uma bolsa auxílio. Para o futuro, o coordenador do curso Silvio Rainho Teixeira, já deslumbra a ampliação de uma parte das instalações que já estão ficando pequenas. "Temos que ampliar as nossas instalações, já que com o desenvolvimento de tantos projetos, o prédio está ficando pequeno", analisou. Ele também ressaltou que espera uma procura maior pelo curso, já que é novidade na região. "Esperamos que neste vestibular, que vai acontecer daqui a alguns meses, uma grande procura pelo curso que é uma novidade em nossa região", disse o prudentino Teixeira.