Notícia

Diário de Suzano

Investimento em pesquisa

Publicado em 24 maio 2011

O Brasil é um dos países em que os investimentos em pesquisa e desenvolvimento mais crescem no mundo, afirma o Conselho de Ciência e Engenharia dos Estados Unidos. A entidade produziu um relatório, considerado um dos mais importantes guias para a formulação das políticas públicas americanas na área. O foco central do relatório são os Estados Unidos, mas, quando são feitas comparações internacionais, o Brasil aparece bem algumas vezes, como na expansão nos investimento em pesquisa, calculada em 10% anuais.

O destaque entre os emergentes, porém, é a China, com uma taxa de crescimento da ordem de 20%. O desempenho brasileiro também é positivo no número de publicações de artigos em revistas acadêmicas internacionais.

Os investimentos mundiais em ciência em tecnologia são calculados em US$ 1,1 trilhão em 2007, ano mais recente com dados disponíveis, o que equivale ao dobro dos US$ 525 bilhões observados em 1996. ?A cada 11 anos, os investimentos em pesquisa e desenvolvimentos duplicam?, afirma o relatório. O Brasil tem apenas uma fração desse valor, com investimentos calculados em US$ 13 bilhões em 2006.

Ontem, em São Paulo, durante o início das comemorações dos 50 anos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), o governador Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou investimentos de R$ 182,6 milhões em duas modalidades do Programa de Apoio à Infraestrutura de Pesquisa - Equipamentos Multiusuários e Museus, Centros Depositários de Informações e Documentos e de Coleções Biológicas. Outros R$ 45 milhões anuais serão destinados pela Fundação para apoio à criação de novos centros de pesquisa de classe mundial no Programa Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepid).

No evento também foi inaugurado o auditório Governador Carlos Alberto de Carvalho Pinto, utilizado para reuniões científicas. A homenagem se deve ao papel fundamental do governador para a instituição da Fapesp.

A criação da Fundação foi incluída no Plano de Ação do Governo Estadual (Page) posto em prática em 1959 e efetivada quinze anos depois da inserção do artigo 123, que previu sua existência na Constituição Paulista de 1947. O governador sancionou a lei que previa a instituição da Fapesp, em 18 de outubro de 1960, e assinou o decreto que a instituiu e aprovou seus estatutos, em 23 de maio de 1962.


Também foi divulgada a abertura do segundo edital do Programa Cepid, para seleção de até 15 propostas para a criação de Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão. Esses Centros têm enfoque multidisciplinar sobre diferentes áreas do conhecimento e seu objetivo é desenvolver pesquisa fundamental, pesquisa orientada para a transferência de tecnologias e atividades de educação e difusão do conhecimento. Cada Cepid poderá receber até R$ 4 milhões anuais por um período inicial de cinco anos, renovável por mais dois períodos de três anos. Em 2000, o Programa aprovou a criação de 11 centros nas áreas de pesquisa e tratamento do câncer, óptica e fotônica. Então por toda sua importância é preciso continuar pesquisando.