Notícia

Jornal da Unicamp online

Investigação associa apneia em criança à malformação dentária

Publicado em 11 novembro 2013

Por Silvio Anunciação

O cirurgião dentista e pesquisador Almiro José Machado Júnior, da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp, vem dedicando-se ao esclarecimento de uma doença comum em adultos, mas pouco investigada em crianças: a síndrome da apneia obstrutiva do sono. Em seu pós-doutoramento, o pesquisador está avaliando em crianças de 7 a 11 anos possíveis alterações na estrutura óssea dentária, que podem fornecer indícios sobre a existência da doença.

As prováveis alterações serão analisadas por meio de um exame de telerradiografia cefalométrica. A avaliação indicará variações ósseas na face dos pacientes. A má oclusão dentária pode ser um dos fatores que esteja predispondo à apneia do sono, assinala Almiro Machado. “Vamos propor e avaliar o uso de um dispositivo maxilomandibular. Acreditamos que um tratamento odontológico que promova alterações na estrutura óssea dentária possa ser eficaz na intervenção da doença”, calcula o pesquisador.

A terapêutica proposta após o diagnóstico da síndrome baseia-se na ortopedia funcional dos maxilares. O uso do aparelho removível permitirá um avanço mandibular e afastamento de lábio com alteração na postura da língua, explica o dentista. “Algumas crianças que participam do estudo já estão usando este dispositivo. A ideia é avaliar se ele possui eficiência no tratamento da doença”, acrescenta.

A pesquisa, em andamento, objetiva investigar os sintomas, causas e consequências da apneia do sono no público infantil. A finalidade é diagnosticar e tratar o problema precocemente, confirma o estudioso, que vem sendo supervisionado pelo docente da FCM Agrício Nubiato Crespo.

“Em adultos esta síndrome é muito conhecida. Os problemas do estresse, dormir no trabalho e acidentes de automóveis por sonolência já têm sido relacionados com a apneia do sono. Nas crianças o diagnóstico precoce é fundamental, uma vez que a doença leva a um comprometimento físico e neuropsicomotor”, alerta.

Características e sintomatologia

Ronco, sono agitado, problemas comportamentais, hiperatividade, dificuldade de aprendizagem e irritabilidade podem dar pistas aos pais sobre os sintomas da enfermidade.

“A prevalência é de 1% a 5% em crianças, mas pesquisas recentes apontam que esta síndrome na população infantil está sendo subestimada pelo difícil diagnóstico. No Brasil não existe um estudo de prevalência do número de crianças com a doença. Mesmo no plano internacional existem poucas pesquisas sobre este tema em crianças. Há pouco conhecimento sobre o assunto, sobretudo pelos pais e familiares”, reconhece Almiro Machado.

Ele esclarece que a apneia do sono trata-se de uma doença descoberta recentemente. Crônica e evolutiva, a síndrome possui alta taxa de morbidade e mortalidade, apresentando um conjunto sintomático variado, que vai desde o ronco até a sonolência excessiva diurna, com graves repercussões cardíacas, circulatórias, neurológicas e comportamentais.

“O diagnóstico positivo ocorre quando a passagem do ar é inibida por pelo menos 10 segundos, tanto em crianças como em adultos. Só que no adulto, essa pausa respiratória deve suceder, no mínimo, cinco vezes por hora, enquanto que nas crianças isso pode ocorrer apenas uma vez”, exemplifica.

Revisão científica

Pela novidade do assunto, Almiro Machado realizou uma revisão sistemática dos métodos de tratamento junto à literatura científica internacional. Ele também vem integrando à sua pesquisa alguns resultados de outras investigações num estudo de metanálise.

A revisão e o estudo de metanálise já foram apresentados este ano em três eventos internacionais: na 101ª edição do Congresso Mundial de Odontologia (World Dental Congress), em Istambul, Turquia; na 42ª convenção anual da Associação Internacional de Motricidade Orofacial (International Association of Orofacial Myology), em Washington, Estados Unidos; e no congresso da Associação Mundial de Medicina do Sono (World Association of Sleep Medicine). As investigações são financiadas pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Polissonografia

Antes de avaliar as possíveis alterações ósseas, os pacientes são submetidos a outro exame para diagnosticar a existência da síndrome. Trata-se da polissonografia, diagnose considerada parâmetro para este tipo de doença.

“A polissonografia é o exame ‘padrão ouro’ para se identificar a apneia. Ainda estamos na fase de seleção de voluntários para a realização das investigações. Apesar de não ser invasivo, é um exame difícil de ser feito, muito trabalhoso, principalmente em crianças”, admite o dentista.

Algumas avaliações vêm sendo realizadas nas residências dos pacientes, com um aparelho portátil; e outra parte no Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp. Segundo Almiro Machado é cada vez mais forte a tendência da monitorização domiciliar do sono, tema que integra, inclusive, projeto multicêntrico de pesquisa do qual fazem parte os docentes da FCM Edilson Zancanella e Agrício Crespo.

Por meio de sensores, o exame registra, durante o sono, a atividade elétrica cerebral, os movimentos dos olhos, o tônus de músculos faciais, a frequência cardíaca, o fluxo e esforço respiratório, a oxigenação do sangue, o ronco e a posição corpórea. No HC, as avaliações estão sendo feitas no Ambulatório de Distúrbios do Sono, Ronco e Apneia da disciplina de Otorrinolaringologia, sob a coordenação do médico e professor Edilson Zancanella.

Publicações

Machado Júnior AJ, Zancanella E, Crespo A. Orthodontic Treatment in Children with Obstructive Sleep Apnea Syndrome (OSAS): a systematic review. International Journal of Orofacial Myology. Washington - outubro de 2013.

Machado Júnior AJ, Zancanella E, Crespo A. Maxillary expansion in children with obstructive sleep apnea syndrome(OSAS): meta-analysis. Sleep Medicine. Valência - setembro/outubro 2013.

Machado Júnior AJ, Zancanella E, Crespo A. Obstructive sleep apnea syndrome and maxillary orthopedics. In: fdi 2013, 2013, Istambul. International Dental Journal, 2013. v. 63. p. 1-98.

Machado Júnior AJ, Zancanella E, Crespo A. Rapid Maxillary expansion in children with obstructive sleep apnea syndrome: meta-analysis. Brazilian Journal of Otorhinolaryngology. São Paulo - novembro 2013.