Notícia

ABES - Associação Brasileira das Empresas de Software

Investe São Paulo incentiva o ecossistema de startup

Publicado em 01 setembro 2016

A primeira edição do SP Conecta reuniu 40 expositores, entre empresas, aceleradoras, parques tecnológicos e órgãos de fomento governamentais, e mais de 700 pessoas no dia 30 de agosto, na sede da Investe SP, a fim de estimular o ecossistema de startup, empreendedorismo e inovação do estado de São Paulo. A programação contou com seis palestras e várias rodadas de negócios entre os participantes em um ambiente descontraído e sem burocracia.

“O balanço é muito positivo, pois reunimos atores muito representativos, conforme almejamos, a fim de fomentar relacionamento e o ambiente de inovação na região. O número de inscrições superou as nossas expectativas. Os palestrantes saíram daqui muito satisfeitos com a qualidade e interesse da plateia”, avaliou o diretor de Investimentos da Investe SP, Ermínio Lucci. O plano, agora, é o de replicar este modelo de evento em outras macrorregiões de São Paulo, que apresentarem base tecnológica.

BNDES, Desenvolve SP, Fapesp, Finep, Inseed, ACE, Artemísia, Baita, Berrini Ventures, Cietec, Startup Farm, Techstars, Braskem, Apex-Brasil, Hospital Albert Einstein, Embraer, Flex, GE Healthcare, IBM, Instituto Tim, Inova Unicamp, Natura, Qualcomm foram algumas das instituições presentes.

Um ponto a ser destacado é que este tipo de evento também é uma oportunidade para empresários de diferentes setores econômicos conhecerem as novas tecnologias que podem impactar na continuidade dos seus negócios. “Hoje em dia, as tecnologias disruptivas impactam a competitividade das empresas com muito mais velocidade. Podemos citar o segmento de locação de vídeos que sofreu com a competição do streaming. Todo empreendedor precisa acompanhar essa evolução”, completa Lucci.

Durante o SP Conecta, foi assinado um protocolo de intenções entre a Investe SP e a Anjos do Brasil, organização sem fins lucrativos, criada para fomentar o investimento-anjo no Brasil. “A Anjos do Brasil poderá indicar potenciais empresas para a nossa agência, pois essa organização é um grande hub de recebimento de projetos de diferentes áreas, aos quais poderemos dar o suporte”, finaliza o diretor.

Palestras

A primeira palestra do SP Conecta foi realizada por Cláudio Terra, diretor de Inovação e Gestão do Conhecimento do Hospital Albert Einstein, que falou sobre as startups na área da saúde. Segundo ele, o hospital está disposto a testar novas tecnologias junto desses empreendedores. “Exploramos as oportunidades junto com eles, chegando a participar do desenvolvimento de diversos projetos”, explicou. “O mundo vai ser cada vez mais diferente nessa área”, apontou.

Luiz Ortega, gerente de Desenvolvimento Sustentável da Braskem, também falou sobre o programa de inovação aberta de sua empresa. “A Braskem coloca a startup em rede de valor para ganhar apoio e networking”, afirmou.

Já a terceira palestra foi realizada por Paulo Castello, fundador e CEO da Fhinck. Castello trouxe o caso do desenvolvimento de sua startup, fundada em 2014 para desenvolver tecnologias e soluções de gestão empresarial. Ele debateu alguns pontos importantes sobre como as startups podem se aproximar de grandes empresas e deixou a dica: “Sem o ecossistema, será dez vezes mais difícil entrar no mercado. Faça parte, para ser reconhecido por empresas que estão procurando inovação”.

Head da Wenovate, chairman da Open Innovation Week e fundador do movimento 100 Open Startups, Bruno Rondani também fez uma apresentação sobre a inovação aberta por meio desse tipo de empreendimento. “A startup tem pouca oportunidade de se implementar sozinha. Por isso, são importantes o ecossistema e o venture capital”, explicou. Rondani destacou ainda que o movimento congrega 53 empresas, mais de 1500 empresários e já ultrapassou fronteiras, tendo iniciado atividades na Índia, mais recentemente.

A inovação dentro do Governo do Estado de São Paulo foi tema da palestra de Karla Bertocco, subsecretária de Parcerias e Inovação da Secretaria de Governo do Estado de São Paulo. Ela falou sobre o Pitch Gov SP, que nasceu para interagir com empreendedores da inovação e realizar parcerias para melhorar os serviços públicos e impactar positivamente a vida de milhões de cidadãos. “Estamos quebrando barreiras, promovendo capacitação, desenvolvimento e aprendizado, de forma gerar sinergia entre startups e a gestão pública. Ao mesmo tempo, depois da criação da primeira edição do programa, os gestores públicos ficaram mais animados e, hoje, querem resolver quase todos os problemas utilizando startups”, afirmou.

A última apresentação foi a do vice-presidente da Qualcomm e diretor Executivo da Qualcomm Ventures para a América Latina, Carlos Kokron. Ele lidera o programa de inovação aberta da empresa, trabalhando, segundo ele, para “antecipar o futuro” e dar suporte para que as empresas se desenvolvam tecnologicamente. “Para nós, o empreendedor precisa de mais que dinheiro ou uma ideia genial. Contribuímos o planejamento estratégico para que a startup se sustente e tenha relevância no mercado”, disse. O executivo contou ainda que a Qualcomm Ventures tem investido em negócios em diferentes setores, tais como hardware, software e healthcare.