Notícia

Jornal do Estado (PR) online

Invenção brasileira vai diminuir poluição causada por veículos

Publicado em 17 julho 2006

Da Agência FAPESP

Nos próximos meses, um invento desenvolvido no Brasil poderá contribuir para reduzir as emissões de ozônio e material particulado, que segundo especialistas, são os poluentes mais nocivos à saúde humana.
A tecnologia, desenvolvida pelo engenheiro paulista Sergio Varkala Sangiovani, pretende barrar, logo após a emissão feita pelos motores de ônibus e caminhões, as chamadas partículas inaláveis finas, que medem menos de 2,5 micrômetros (milionésima parte do metro) de diâmetro.
O dispositivo funciona apenas para o diesel e também está regulado para aceitar a alta quantidade de enxofre que existe no combustível produzido no Brasil. O tipo de composição química do diesel costuma inviabilizar a eficiência dos catalisadores convencionais.
Após realizar boa parte das pesquisas por conta própria, Sangiovani conseguiu recursos no exterior para viabilizar a invenção. Com a chegada do capital, foi instituída a Sabertec, empresa sediada no Texas, nos Estados Unidos, que comercializará o futuro produto no Brasil. A linha de produção, terceirizada, deverá funcionar em Diadema, onde o filtro foi testado em 2005 e depois doado à prefeitura local.
A redução na emissão de partículas inaláveis finas teria chegado aos 40% nos testes feitos até agora, disse Sangiovani à Agência FAPESP.
Segundo Paulo Alfonso de André, pesquisador do LPAE, um dos principais grupos do mundo na investigação da poluição urbana e de seu impacto no homem, não existem dúvidas de que o diesel é uma das fontes mais importantes da poluição atmosférica em uma grande cidade. Segundo ele informou à Agência FAPESP, se houvesse um índice de toxicidade de combustíveis - que deverá ser apresentado pelo mesmo grupo em breve - o diesel apareceria na frente da gasolina e do álcool.