Notícia

Jornal Brasil

Internet mais rápida e de maior alcance é motivação para novas tecnologias

Publicado em 05 maio 2016

Uma parceria entre a empresa Padtec e a Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) da Unicamp, com aporte da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), possibilitou o desenvolvimento de três tecnologias que visam atender à demanda no país por fornecimento de internet rápida com amplo alcance.

Intituladas “Dispositivos e método para amplificação quase-linear”, “Rede óptica para multiplexação e divisão de comprimento de onda (WDW) empregando laser multimodo com travamento por injeção e uso” e “Método para caracterização de lasers”, as tecnologias foram protegidas por meio de patentes em cotitularidade com a empresa e licenciadas para a Padtec em 2015. A Padtec é uma das Empresas-Filhas da Unicamp e fornecedora global voltada ao desenvolvimento, fabricação e comercialização de soluções para sistemas ópticos.

De acordo com o professor Evandro Conforti, responsável na Unicamp pelas pesquisas que originaram as tecnologias, o mercado de internet rápida registra crescimento de cerca de 30%, anualmente. Além disso, políticas públicas, como o Programa Nacional de Banda Larga (PNBL), constituem outro fato que motiva os pesquisadores e empresas a buscar inovações neste segmento, com o objetivo principal de massificar o acesso à internet em banda larga no país, principalmente nas regiões mais carentes de tecnologia e infraestrutura. Para o docente, o fato de a meta inicial de prover 40 milhões de domicílios até 2014 não ter sido atingida gera uma necessidade ainda maior por novas tecnologias no setor.  “Esta área é muito promissora, mas também bastante competitiva, com avanços vertiginosos e busca incessante por novas tecnologias”, aponta.

O que são as tecnologias?

A “Rede óptica para multiplexação e divisão de comprimento de onda (WDW) empregando laser multimodo com travamento por injeção e uso” é um dispositivo que permite aumentar o alcance em uma rede local de assinantes por fibra óptica, chamada Rede Óptica Passiva – que viabiliza o compartilhamento de uma única fibra óptica entre diversos pontos finais. “Além de aumentar o alcance em vários quilômetros, o emprego de um laser multimodo permite multiplicar o mesmo sinal para vários assinantes, com comprovação experimental de acréscimo de cinco assinantes por laser e aumento de 20 quilômetros na distância”, conta o professor. Também participaram do desenvolvimento desta tecnologia o professor Cristiano de Mello Gallep, da Faculdade de Tecnologia (FT) da Unicamp e o doutor Andrea Chiuchiarelli, bolsista do programa “Ciências sem Fronteiras”, do CNPq.

 

Já o “Método para caracterização de lasers”, que foi desenvolvido como parte da tese de doutorado do aluno Tiago Sutili, permite caracterizar lasers que são utilizados em comunicações ópticas. Ou seja, proporciona conhecer o grau de pureza da luz emitida e como o laser pode ser empregado nos sistemas ópticos. “Esta tecnologia tem concorrentes, mas ela incorpora um sistema mais simples, o qual emprega osciloscópios (instrumento de medida eletrônico útil para mostrar sinais periódicos) de última geração denominados osciloscópios digitais em tempo real”, revela o professor.

Também com o apoio do professor Gallep e como parte da tese de doutorado do aluno Peterson Rocha, a tecnologia “Dispositivos e método para amplificação quase-linear” envolve a obtenção de um amplificar óptico que possui também a capacidade de regenerar o sinal modulado que está sendo amplificado, o que possibilita aumentar as distâncias dos enlaces em uma rede óptica metropolitana de alta capacidade. Em outras palavras, a tecnologia gera um aumento no alcance da rede de Internet, chegando a um número maior de pessoas beneficiadas. “No caso da cidade de São Paulo, por exemplo, a rede pode chegar a várias dezenas de quilômetros, envolvendo milhares de usuários, que necessitam de conexão em alta velocidade”, aponta Conforti.

Ideia inicial e o processo de licenciamento

Levando em consideração a relevância do relacionamento entre a universidade e as empresas, o professor comenta que a ideia inicial para o desenvolvimento da tecnologia surgiu a partir da busca dos pesquisadores em gerar tecnologias úteis para o mercado e a sociedade. “A descoberta do novo depende de inspiração, extrema dedicação e um laboratório de ponta, o qual permita reduzir à prática nossas novas ideias. De forma geral, procuramos temas de pesquisa que motivem os alunos para o que é novo, realizável, mas também para o que é útil para o mercado”, defende.

Roberto Yoshihiro Nakamura, Diretor de Tecnologia da Padtec, conta que o interesse no licenciamento se deu devido à possibilidade de aplicar as tecnologias em produtos comercializados pela empresa. Para ele, embora ainda não estejam em uso comercial, as tecnologias licenciadas estão alinhadas com as necessidades da empresa. “A Padtec é especializada no desenvolvimento, produção e comercialização de produtos de alta tecnologia para transmissão de dados em redes de fibra óptica, que torna as telecomunicações, seu principal mercado. As tecnologias desenvolvidas podem ser utilizadas em produtos que atendem a este setor. Além disso, as tecnologias patenteadas demonstram a capacidade da Padtec em inovar e de trabalhar em parceria com uma universidade de alto nível como a Unicamp”, completa.

Conforti confirma o papel essencial da Agência de Inovação Inova Unicamp no suporte aos docentes e pesquisadores da universidade em relação a proteção e transferência de tecnologia. “Para um pesquisador debruçado sobre suas bancadas laboratoriais seria impossível depositar patentes sem a ajuda de estruturas como as da Inova. Neste sentido, a Unicamp apresenta-se como modelo para o nosso país, pois a Inova não só ajuda o pesquisador a escrever a patente e suas reivindicações, como acompanha o processo no INPI e negocia os licenciamentos com as indústrias interessadas”, diz. Já Nakamura comenta a função de aproximar docentes e empresas adotada pela Inova, conforme os trâmites legais. “A Inova foi essencial para aproximar a Padtec da Unicamp, principalmente nas fases de depósito de patentes e de licenciamento das tecnologias. A Inova foi responsável pela elaboração de toda a documentação necessária nessas fases”, finaliza. -

Sobre a Padtec

A Padtec é uma fornecedora global voltada ao desenvolvimento, fabricação e comercialização de soluções turnkey para sistemas ópticos. Seu amplo portfólio inclui equipamentos para acesso corporativo, DCI, SAN Extension, redes metropolitanas e redes multi-terabit de longa distância terrestres e submarinas. Com negócios e representantes em todos os continentes, a Padtec se destaca por sua presença nas redes de grandes operadoras e provedores de serviços. Resultado de uma forte vocação pela pesquisa e desenvolvimento, a tecnologia pioneira da Padtec leva seus usuários da tela de seus dispositivos para o mundo.

Patentes licenciadas:

Método para caracterização de lasers  - BR 10 2014 030635 8

Dispositivos e método para amplificação quasi-linear - BR 10 2014 030636 6

Rede óptica para multiplexação e divisão de comprimento de onda (WDM) empregando laser multimodo com travamento por injeção e uso - BR 10 2014 018890 8

Tipo de licenciamento: exclusivo

Fonte Inova/Unicamp