Notícia

A Tribuna (Santos, SP)

Internet é aliada na luta contra o câncer de pele

Publicado em 19 março 2000

Com a diminuição da camada de ozônio e o conseqüente aumento dos casos de câncer de pele registrados, o número de especialistas para diagnosticar lesões cutâneas começa a ser insuficiente no Brasil. Por isso uma empresa de São José dos Campos, SP, vem investindo desde 1998 num sistema computacional para acelerar a análise destas lesões e permitir a emissão de pareceres de especialistas via Internet. "O equipamento é dotado de um vídeo dermatoscópio, uma espécie de microcâmera, que filma a lesão cutânea e transfere o sinal digital de vídeo para uma placa dentro do computador", explica Antonio Francisco Júnior, da Atonus Engenharia de Sistemas (http://www.polovale.softex.br/atonus). Um software digital analisa, então, o tamanho e o formato da lesão, indicando, por exemplo, se há possibilidade de ser um melanoma (câncer). A análise pode também ser comparativa, justapondo-se imagens da mesma lesão feitas em datas diferentes. "A análise comparativa por computador diminui a subjetividade do médico ou do paciente no controle da evolução de uma lesão e ainda reduz, em muitos casos, a necessidade de retirada de material para biópsia", acrescenta Francisco Júnior. As imagens digitalizadas das lesões poderão, também, ser enviadas a especialistas via Internet, para uma segunda opinião. Francisco Júnior está formando uma rede virtual de dermatologistas e oncologistas especializados em lesões cutâneas para emitir esta segunda opinião. Cada imagem enviada teria o parecer de até três especialistas da rede. A Atonus é uma empresa que já trabalha com visão computacional, análise de sêmen, ótica e ultra-sonografia. Para o desenvolvimento de um equipamento nacional com vídeo dermatoscópio, dos softwares específicos e do sistema de comparação utilizado recebeu financiamento de R$ 113 mil da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, Fapesp (http://www.fapesp.br). Um protótipo do sistema já funciona no Instituto Brasileiro de Controle do Câncer e a Atonus deverá colocar os primeiros equipamentos de linha no mercado nacional em abril. O sistema nacional deverá custar cerca de US$ 12 mil, mais a manutenção ou atualização anual do software. Apenas outros três países - Alemanha, Áustria e Estados Unidos - têm sistemas semelhantes, mas só o equipamento - sem o software nem a possibilidade de consulta via Internet - custa o dobro. Maiores informações pelo e-mail atonus@polovale.softex.br ou pelo telefone (12) 3417225. Vacina - Cientistas norte-americanos podem ter descoberto uma vacina eficaz contra o melanoma, um tipo de câncer de pele. Segundo pesquisadores da Universidade da Flórida, em Gainesville, camundongos vacinados com células de melanoma ativas conseguiram uma sobrevida de 150 dias, enquanto que outros ratos de laboratório não imunizados morreram nas semanas seguintes. De acordo com o principal autor da pesquisa, o professor Howard Johnson, a vacina não é composta por bactérias ou vírus, mas sim "células de tumor inativas, tratadas com superantígenos", proteínas que estimulam o sistema imunológico. (Agência Estado e France Presse)