Notícia

Jornal da Tarde

Internet 2 começa a funcionar em SP

Publicado em 17 dezembro 1999

O governador Mário Covas inaugurou, ontem, a Rede Metropolitana de Alta Velocidade de São Paulo (RMAV-SP) e a Rede Metropolitana de Alta Velocidade de Campinas (Remet), o primeiro passo para a efetivação da Internet 2, com velocidade de comunicação cem vezes superior à da Internet atual. A nova Internet, entretanto, só atenderá à comunidade acadêmica. De acordo com Wilson Ruggiero, diretor do Laboratório de Arquitetura e Redes de Computadores da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), a rede deverá ser estendida, no próximo ano, para as comunidades acadêmicas de outros nove municípios do interior paulista, que constituirão a Academic Network at São Paulo, Advanced (ANSP). O projeto das duas redes consumiu cerca de R$ 5 milhões. Trata-se de parte de um projeto maior, que envolve a instalação de redes em outras 14 cidades do País, orçado em R$ 32 milhões e que está sendo financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). "A partir de 2000, o pós-graduando poderá acompanhar a partir da Unicamp o curso na USP e vice-versa, eliminando a necessidade de viajar", disse Ruggiero. Consórcio A RMAV-SP é formada por um consórcio entre o Laboratório de Arquitetura e Redes de Computadores (Larc) e pelo Centro de Computação Eletrônica (CCE), ambos da USP; pelo Instituto do Coração (Incor); pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp); pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC); pela Globocabo e pela Telefônica, além da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), coordenadora do grupo. A Remet é constituída pela Unicamp, pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, pela prefeitura de Campinas e pela NET-Campinas. Segundo Ruggiero, a tecnologia deve estar disponível comercialmente a partir de 2002. Hartmut R. Glaser, coordenador da rede ANSP, estima que as operações comerciais começarão pelas aplicações em telemedicina. A Internet 2 transmite vídeo e som em alta velocidade por meio de fibra óptica já está em operação nos Estados Unidos desde 1997 e interliga 160 universidades americanas. O sistema volta-se para o desenvolvimento de tecnologias e aplicações avançadas de redes Internet - como telemedicina, bibliotecas virtuais e laboratórios virtuais, dentre outras não viáveis com a tecnologia Internet atuaL Luiz Carlos Mitter