Notícia

O Imparcial (Presidente Prudente, SP) online

Interior paulista atrai cérebros e empresas de tecnologia

Publicado em 27 janeiro 2021

O Estado de São Paulo possui uma rede de parques que oferecem oportunidades para as empresas transformarem pesquisa em produtos, estimulando a sinergia de projetos entre as companhias e tornando-as mais competitivas. De acordo com levantamento do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, São Paulo responde por um quarto dos parques tecnológicos em todo o país. A maioria dessas iniciativas (13) já obteve credenciamento definitivo, sendo que oito estão em operação: Parque Tecnológico de São José dos Campos (PqTec); Parque Tecnológico de Sorocaba (Empts); Parque Tecnológico de Ribeirão Preto (Supera); Parque Tecnológico de Piracicaba; Parque Tecnológico de Botucatu; Parque Tecnológico CPqD - Campinas; Technopark – Campinas; Parque Científico e Tecnológico da Unicamp; e Fundação Parque Tecnológico de São Carlos (ParqTec).

Pelo Estado

Foram credenciados e estão em obras o Parque Tecnológico de Santos, o Parque Tecnológico de São José do Rio Preto e o do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer, em Campinas. O projeto para o Parque Tecnológico de Santo André também recebeu credenciamento. Sete estão em processo de credenciamento segundo o site da Agência Investe SP: Parque Tecnológico da Univap (São José dos Campos) – em operação; Parque Eco-Tecnológico Damha (São Carlos), em obras; Parque Tecnológico de Barretos – em obras; Parque Tecnológico de São Paulo – (Jaguaré) – em obras; Parque Tecnológico de São Paulo – (Zona Leste) - em projeto; Parque Tecnológico de Araçatuba – em projeto; Parque Tecnológico de Campinas – Ciatec – em projeto. E há ainda as iniciativas cujo credenciamento está em negociação: Parque Tecnológico de Rio Claro, Parque Tecnológico de Americana, Parque Tecnológico de Santa Bárbara d’Oeste, Parque Tecnológico do Grande ABC, Centro de Inovação Tecnológica de Guarulhos, Centro de Inovação Tecnológica de Jundiaí, Parque Tecnológico de Bauru e Parque Tecnológico de Pirassununga.

“Vale do Silício”

A cidade de São Carlos é um exemplo dos polos de tecnologia espalhados pelo Estado. A cidade conta com 179 startups e empresas de tecnologia em estágios mais avançados de maturidade, segundo levantamento realizado pela SancaHub, uma comunidade de empreendedorismo tecnológico. A informação foi veiculada pelo grupo Cidade On. São Carlos é considerada por muitos empresários do ramo tecnológico como tendo potencial para ser o "Vale do Silício" brasileiro. O apelido é dado pelo cenário de empreendedorismo tecnológico e inovação do município.

Espaços de inovação

Em São Carlos, a maior parte das empresas de tecnologia atua em áreas como desenvolvimento de software, em segundo lugar estão as organizações de gestão empresarial, seguido por empresas de tecnologia focadas em marketing, martechs, e saúde, as healthtechs. Além disso, o relatório do SancaHub mostra que a cidade atualmente conta com 17 coworkings e espaços de inovação, como o Onovolab.

Estratégia

Um dos grandes atrativos para as empresas locais são os nove polos educacionais da cidade, que incluem a USP (Universidade de Sao Paulo) e a UFSCar (Universidade Federal de São Carlos). "Desde a chegada da USP, em 1948, da UFSCar, em 1968, a cidade já ganhou um contorno muito diferente de uma cidade convencional”, diz o CEO e co-fundador do Onovolab, Anderson Criativo. “É muito raro um município que tenha tanto conhecimento em tão pouco espaço e população tão pequena. Estamos falando de 250 mil habitantes e de 40 mil universitários, universidades enormes, Embrapas e coisas do tipo".

Números

São Carlos possui cerca de 2,5 mil doutores morando na cidade, a maioria atuante na academia ou nas empresas tecnológicas lá baseadas. Em 2020, foi inaugurado o centro de pesquisas de inteligência artificial (IA) financiado pela IBM, pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e pela USP.

Frase

"Não só startups estão presentes neste ecossistema, mas grandes empresas, então são grandes geradoras de empregos na cidade. Grande parte dos empregos da cidade hoje está ligada ao conhecimento, à tecnologia e inovação. É uma tendência que tende a aumentar ao longo desta década, com grandes empresas trazendo áreas de tecnologia e inovação, de ciências de dados, inteligência artificial, tudo por conta dessa presença forte das universidades no município" - Anderson Criativo, da Onovolab.

Araçatuba: Nestlé

Na semana em que completa 100 anos de atuação no Brasil, a Nestlé dá mais um passo na expansão de sua rede varejista própria: a empresa está inaugurando uma pop-up do Empório Nestlé em sua fábrica em Araçatuba. A informação é do jornal Folha da Região, da Rede APJ (Associação Paulista de Portais e Jornais). Para viabilizar o tráfego dessa operação – integração entre loja física e e-commerce –, a companhia fechou uma parceria com Supermercado Now.

Pontal 2030

A Secretaria Estadual de Desenvolvimento Regional apresentou oficialmente o projeto Pontal 2030, cuja ideia é promover ações a fim de potencializar a região do Pontal do Paranapanema nos próximos dez anos. A informação é do jornal O Imparcial, da Rede APJ. A empreitada envolve 32 municípios.