Notícia

Notícias Agrícolas

Intercâmbio entre agronegócio brasileiro e australiano é tema de evento

Publicado em 10 maio 2017

O agronegócio é um dos pontos fortes das economias brasileira e australiana. Hoje, o Brasil já é um dos principais parceiros comerciais do agronegócio na Austrália, tendo entre as empresas que já investem por lá JBS, Minerva Foods, Marfrig, Tramontina, Marcopolo, entre outras. Para ampliar ainda mais o intercâmbio de estudos e pesquisas em tecnologia agrícola entre os dois países, promover e explorar novas abordagens de interação entre eles, a Austrade - braço do Consulado da Austrália para promoção de negócios e investimentos - realizará o 1º Workshop Brasil-Austrália em Agritech, nos dias 16 e 17 de maio, no campus da Esalq, em Piracicaba.

O evento reunirá cerca de 80 convidados e contará com apresentações de representantes da academia, centros de excelência e indústria australianos e brasileiros, reconhecidos por seus estudos e trabalhos na área, e terá entre seus principais pilares de discussão os temas: agricultura de precisão, genética e nutrição animal e biossegurança.

“O evento é uma oportunidade única para pesquisadores, estudantes e profissionais – empresários e investidores - inseridos e interessados no agronegócio, possibilitando aumentar a colaboração entre Brasil e Austrália em pesquisas, no desenvolvimento de novas tecnologias agrícolas e ainda ampliar as parcerias comerciais e de investimentos, a fim de possibilitar o máximo aproveitamento de tudo que se tem produzido e descoberto nesse setor”, destaca Chris Cobb, gerente de Desenvolvimento de Negócios de Agronegócios da Austrade.

Esse mercado gigantesco em ambos países envolve pesquisas, novas tecnologias, exportações e geração de empregos. Bastante semelhantes em vários aspectos, como o clima quase idêntico, cada país tem se aprimorado com tecnologias próprias que podem auxiliar a ambos, ampliando assim, cada vez mais suas relações e trocas.

Sobre o evento

No primeiro dia, terça-feira, serão apresentados quatro painéis de discussões. O segundo dia reunirá palestrantes e público em workshops segmentados em cada uma das áreas a serem debatidas. Além disso, acontecerão visitas técnicas nas cidades de São Paulo, Campinas, Piracicaba e São Carlos.

Palestras do dia 16/5

Painel 1: Oportunidades de financiamento Brasil-Austrália – Moderado pelo presidente da Agência USP de Cooperação Acadêmica Nacional e Internacional, Raul Machado, com participação de um representante do Governo australiano e do Assessor Especial da Diretoria Científica da FAPESP, Hernan Chaimovich.

Painel 2: Agricultura de Precisão – Agricultura e horticultura remota – análise de senso e dados - Moderado pelo Professor de Departamento de Engenharia de Biossistemas da Esalq, Leandro Gimenez.

Tema: Aplicações de Sensoriamento Remoto para a Indústria Agrícola Brasileira, pelo Professor Associado da Escola de Ciência e Tecnologia, Pesquisador do Grupo de Agricultura de Precisão da Universidade de New England, Andrew Robson.

Tema: Aplicações na agricultura da análise de dados, aprendizagem de máquinas e visão computacional, pelo Professor de Ciência da Computação da Charles Sturt University, Chang-Tsun Li.

Painel 3: Tendências da pecuária e inovações - Moderado pelo diretor assistente, pesquisador e desenvolvedor da Embrapa, Alexandre Berndt.

Tema: Sistemas de gado e pesquisa genética na UNE e criação de gado na era da próxima geração de sequenciamento, pelo Professor Associado da Universidade de New England, Cedric Gondro.

Tema: Avaliação genética internacional - como o meu gado realmente se compara com o do restante do mundo?, pelo Diretor geral do Agricultural Business Research Institute (ABRI), Hugh Nivison.

Tema: Gestão da pecuária de precisão, pelo Diretor do Graham Centre for Agricultural Innovation das Charles Sturt University, Michael Friend.

Painel 4: Sustentabilidade e biossegurança - Moderado pela Pesquisadora do Centro de Pesquisas Avançadas em Economia Aplicada da Esalq, Silvia Miranda.

Tema: Biossegurança com foco no manejo de ervas daninhas, com a Professora pesquisadora de Biologia Vegetal e Ciência de Ervas daninhas da Escola de Ciências Agrícolas e do Vinho da Charles Sturt University, Leslie A. Weston.

Tema: Controles biológicos na agricultura, com o engenheiro agrônomo e gerente de negócios internacionais da Simbiose Brasil, Gustavo Valicente.