Notícia

Jornal da USP online

Institutos especializados da USP inauguram suas novas sedes

Publicado em 19 janeiro 2018

Por Erika Yamamoto

Na manhã do dia 18 de janeiro, dois importantes institutos da USP inauguraram suas novas sedes. O Instituto de Estudos Brasileiros (IEB) passa a ocupar parte do Complexo Brasiliana USP e o Instituto de Estudos Avançados (IEA) se instala no térreo do Prédio da Administração Central, ambos na Cidade Universitária “Armando de Salles Oliveira”, na capital paulista.

A diretora do IEB, Sandra Margarida Nitrini, fez questão de agradecer o apoio do reitor Marco Antonio Zago que “desde o início até o fim de seu mandato, nos deu todas as condições, inclusive nos deixando com a verba necessária, para que esta tão almejada mudança se realize. Foi iniciativa dessa gestão expor a riqueza dos acervos dos museus, dos institutos e das Unidades, criando a galeria de exposição no saguão do prédio da Reitoria, com o objetivo de mostrar nossa riqueza cultural, tanto para a comunidade uspiana quanto para a sociedade. O convite para o IEB inaugurar este espaço com a exposição Traço-Compassos Mário de Andrade em caricaturas, de abril a julho de 2015, muito honrou nosso Instituto e significou um reconhecimento da importância do IEB dentro da USP e para a USP”.

Em seu discurso, o reitor Marco Antonio Zago afirmou que “assim como todas as universidades do mundo, a USP tem missões comuns de formação e pesquisa, mas o IEB, desde a concepção de seu fundador Sérgio Buarque de Holanda, tem uma missão mais nobre: a de analisar nossa história, nossa cultura, não só na perspectiva do passado, mas também como ela se reflete nos dias atuais. Trazer o IEB para um dos espaços físicos mais nobres da Universidade é reconhecer esse papel”.

Atualmente, o setor administrativo e o Arquivo do IEB já estão instalados na nova sede e a previsão é que a mudança completa da Biblioteca, da Coleção de Artes Visuais e dos Serviços de Restauro e Digitalização deve ser concluída até o final de maio.

De acordo com a diretora, a contrapartida proposta pela Reitoria foi a reserva de um espaço na nova sede do IEB para abrigar o Projeto Core Facility e seus equipamentos. Esse projeto, de interesse institucional amplo, envolvendo toda a Universidade, propõe a criação de um centro de compartilhamento de serviços voltados para a digitalização e restauro de documentos de Museus, Institutos e Unidades da USP.

Nova sede do Instituto de Estudos Avançados

No mesmo dia, outro importante instituto da USP, o Instituto de Estudos Avançados (IEA), inaugurou sua nova sede, com uma cerimônia prestigiada por ex-diretores, intelectuais, pesquisadores, dirigentes e os secretários Estaduais da Educação, José Renato Nalini, e dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Linamara Rizzo Battistella.

O novo espaço tem uma área aproximada de 1.600 metros quadrados (170% maior do que a atual sede) e é composto por áreas de convivência, cinco salas de reuniões, espaço multiuso, área administrativa, um auditório com capacidade para 120 pessoas (antiga Sala do Conselho Universitário) e uma sala de eventos para 60 pessoas, que foi batizada como Sala Alfredo Bosi, em homenagem ao ex-diretor e único pesquisador do IEA a integrar o Instituto desde a sua criação.

Bosi, que também é atual editor da Revista Estudos Avançados, falou sobre a história e a importância do Instituto e recordou que “este espaço vem abrigar uma instituição que foi criada para acolher pesquisadores da USP e de fora. Percebi, ao participar do primeiro conselho do IEA, que um dos motivos fortes da sua fundação era aproximar estudiosos de todas as áreas, que a geografia da Cidade Universitária tinha dispersado. Corrigia-se assim o isolamento físico das Unidades pelo convívio em uma instituição aberta por excelência”.

O diretor do IEA, Paulo Saldiva, fez questão de agradecer ao ex-reitor da USP e atual presidente da Fapesp, José Goldemberg, por ter criado o Instituto em sua gestão; ao reitor Marco Antonio Zago; ao superintendente de Espaço Físico, Osvaldo Shigueru Nakao; e aos ex-diretores do Instituto presentes. “Nesses 32 anos de existência, essa é a primeira vez que o IEA tem, de fato, uma sede. Essa inauguração vai além de aumentar a área física porque o Instituto tem que ser um motivo de orgulho para a USP, uma representação do seu peso, do seu conhecimento e da sua dignidade. O IEA é um lugar para analisar temas complexos e deve cumprir o seu papel de propor ações, ajudar e fazer parte do pacote de soluções”, defendeu Saldiva.

Em seu discurso, o reitor Marco Antonio Zago lembrou que “o IEB e o IEA representam aquilo de mais importante e nobre existe na missão da USP. O IEB como um instituto dedicado ao estudo da cultura e da história brasileira; o IEA com a função central de aproximar fisicamente e intelectualmente as pessoas e, mais importante ainda, de aprofundar a relação da Universidade com a sociedade. Criar espaços em que as pessoas possam se encontrar foi uma preocupação muito presente na minha gestão. Um exemplo disso é a Praça Milton Santos, que acabou de ser inaugurada e que será um local de encontro entre as pessoas na Universidade”.