Notícia

A Folha (São Carlos, SP)

Instituto de Química da USP desenvolve projeto para a tipificação e a melhoria de qualidade da cachaça produzida na região

Publicado em 04 outubro 2002

"É com grande interesse que o Governo Participativo de São Carlos acompanha o projeto que busca estabelecer a identidade regional e a melhoria de qualidade da cachaça produzida no centro do Estado de São Paulo", diz Francelino Grando, secretário municipal de Desenvolvimento Sustentável, Ciência e Tecnologia. Ele adianta que será feito tudo o que estiver ao alcance da Prefeitura de São Carlos para facilitar o relacionamento dos destiladores da cidade e região com o Instituto de Química de São Carlos (IQSC), a unidade da Universidade de São Paulo na qual é desenvolvido esse projeto piloto. Para Francelino Grando, "ao serem definidas quais são as características da cachaça da região, isto terá grande valor para auxiliar a criar uma imagem de marca dos produtos da cidade, estabelecendo novos atrativos para o setor de turismo, por exemplo, por meio da visitação a alambiques". Ele acrescenta que "o aspecto que mais nos motiva, entretanto, e o da melhoria esperada da qualidade dos produtos, como conseqüência do projeto do Instituto de Química, favorecendo a ampliação das receitas dos produtores e com isso a geração de novos postos de trabalho e de mais renda para a comunidade trabalhadora são-carlense". O projeto envolve a coleta de amostras e análises da cachaça produzida na região. Os resultados das análises possibilitarão verificar se há ou não pequenas variações de composição que permitam diferenciar uma aguardente produzida em uma região da aguardente produzida nas demais. Se essa diferenciação for comprovada, deverá ser criado o conceito "aguardente de qualidade produzida em regiões determinadas", equivalente, por analogia, aos conceitos adotados na França e Itália para vinhos finos: "vins de qualité produits dans de régions determinées" e "determinazione di origine controlatta". E já há uma sugestão para denominar como "Cachaça das Terras Altas" a aguardente de qualidade produzida na região central do Estado de São Paulo. O projeto de tipificação de aguardente foi idealizado pelos fundadores do Laboratório para o Desenvolvimento da Química da Aguardente do IQSC, criado em 1993 pelos pesquisadores Benedito dos Santos Lima Neto e Douglas Franco, atual diretor do IQSC. O Laboratório tem apoio financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e o estudo para definir as características regionais da cachaça será feito em colaboração com o professor João Bosco Farias, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas do campus da Unesp em Araraquara, com apoio também da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico de Araraquara. Douglas Franco explica que "a tipificação de uma bebida envolve aspectos do solo e do clima da região onde a matéria-prima da mesma é produzida, o processo de produção em si - fermentação, destilação e envelhecimento -, sua composição química e propriedades organoléplicas". Ele acrescenta que o projeto tem como objetivos "identificar quais são os principais componentes químicos da aguardente produzida num raio de cerca de 160 á 200 quilômetros das cidades de São Carlos e Araraquara, procurando associar as características de cada produto com o seu local de origem geográfica". As características de cada bebida serão avaliadas por análises químicas e isotópicas, que serão efetuadas no IQSC, e análises sensoriais, a cargo da Faculdade de Ciências Farmacêuticas. O diretor do IQSC ressalta que, com essa iniciativa, os produtores terão a oportunidade de ter o seu produto analisado sem qualquer ônus e de forma inteiramente confidencial. Ele destaca que "cada produtor terá acesso somente às informações referentes ao seu produto e, caso sejam detectadas eventuais imperfeições, os produtores receberão, se assim o desejarem, numa segunda fase, acompanhamento técnico gratuito para aprimoramento do produto, para o que serão pleiteados recursos junto à Fapesp". Os produtores de aguardente da região que estiverem interessados em fornecer amostras de seu produto para análise podem entrar em contato com o IQSC pelos telefones (16) 273-9970 e (16) 273-9976 ou ainda pelo endereço eletrônico, claudiasn@iqsc.sc.usp.br. Diretor do IQSC Douglas Franco