Notícia

Esteta

Instituto de Pesca lança site com informações sobre atividade pesqueira

Publicado em 27 fevereiro 2015

O Instituto de Pesca (IP), vinculado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, lançou um site com informações sobre a atividade pesqueira paulista.

Estão disponíveis dados sobre 15 municípios pesqueiros paulistas, lista de espécies encontradas no estado, produção, captura, aparelhos de pesca utilizados e número de embarcações.

Os dados são coletados no âmbito do Programa de Monitoramento da Atividade Pesqueira Marinha e Estuarina (PMAP).

“Além do banco de dados, estão disponíveis os números já publicados de Informe Pesqueiro de São Paulo e informações detalhadas sobre as espécies de pescado capturadas e a atividade por município”, disse Antônio Olinto Ávila da Silva, pesquisador do IP.

As informações disponibilizadas são obtidas principalmente por meio de entrevistas voluntárias com mestres de embarcações e pescadores. Também são usados autorregistros e consultas a registros de descarga e comercialização de pescado de empresas. Ao todo, são monitorados mais de 200 pontos de escoamento de pescado nos 15 municípios da costa paulista.

Os dados gerados pelo programa permitem a identificação dos territórios pesqueiros das diferentes frotas e de seus padrões de utilização do ambiente marinho, dão subsídios à gestão de conflitos internos no setor e são empregados na avaliação do estado de exploração dos estoques pesqueiros e de seu ecossistema.

De acordo com a Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), que coordena o IP, a pesca marinha do Estado de São Paulo descarrega atualmente cerca de 30 mil toneladas de pescado por ano. A composição das capturas sofreu poucas alterações nos últimos 70 anos. A sardinha-verdadeira é a principal espécie descarregada no Estado. O camarão-sete-barbas, a corvina, o goete, a betara e as pescadas também estão entre as principais espécies capturadas em São Paulo.

Mais informações: http://www.propesq.pesca.sp.gov.br/.

Agência FAPESP