Notícia

Jornal Entreposto

Instituto da Pesca estuda sustentabilidade na aquicultura

Publicado em 14 janeiro 2016

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo está desenvolvendo pesquisas com vistas à sustentabilidade ambiental na aquicultura, com o enfoque nas práticas de manejo e a qualidade ambiental, e um projeto do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Recursos Hídricos do Instituto de Pesca aborda o tema “Avaliação do potencial de eutrofização do cultivo de tilápias em tanques-rede situados em hidrelétricas da Bacia do Alto Paraná”.

 

A eutrofização é o processo de enriquecimento de corpos d´água, como rios e lagos, que, quando elevada, faz com que a água adquira uma coloração turva e fique com níveis baixos de oxigênio dissolvido na água. Isso provoca a morte de diversas espécies animais e vegetais e, consequentemente, impacto em ecossistemas aquáticos.

 

De acordo com a pesquisadora Cacilda Thais Janson Mercante, o ecossistema aquático e seus compartimentos são peça-chave na manutenção da qualidade da água de rios, reservatórios e lagos.

 

O ecossistema lótico (águas correntes) e o ecossistema lêntico (águas paradas) apresentam comunidades aquáticas e características físicas e químicas muito distintas. “Quando alteramos esses ambientes com a finalidade de fazer uso da água para o cultivo de organismos aquáticos (como, por exemplo, criação de tilápias em tanques-rede, criação de camarões em viveiros escavados, manutenção de pesqueiros etc.), muitos fatores devem ser considerados para minimizar as alterações ambientais provocadas”, explica a pesquisadora do Instituto.

 

Em um mundo cada vez mais globalizado, é importante que os países desenvolvam estudos relacionados à sustentabilidade ambiental na aquicultura. Pesquisas como essa são muito importantes, pois contribuem para o aumento da produção e da rentabilidade do empreendimento e podem ser utilizadas em todo o País. “Tais estudos estão alinhados ao que recomenda o governador Geraldo Alckmin, isto é, gerar alternativas e diminuir a distância entre pesquisa e usuário”, afirma Arnaldo Jardim, secretário de Agricultura e Abastecimento.

 

A pesquisa vem sendo desenvolvida em parceria com a IMPCON – IMProved quality of cultured fish for human CONsumption, da Dinamarca, e com o patrocínio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).