Notícia

Jornal do Oeste (Toledo, PR) online

Instituto da Pesca coleta tilápias produzidas em Maripá para pesquisa de probiótico

Publicado em 04 dezembro 2015

O município de Maripá vem se tornando referência na produção de peixes. Prova disso foi a visita dos pesquisadores Carlos Ishikawa, Leonardo Tachibana e Danielle de Carla Dias do Instituto da Pesca de São Paulo, que estiveram na terça-feira (1º) em Maripá para coletar tilápias que serão utilizadas no projeto: "Seleção de microrganismos isolados de tilápia para utilização como probiótico em peixes”. O projeto foi aprovado pelo Programa Jovem Pesquisador Fapesp e é coordenado pela pesquisadora Daniella de Carla Dias.

O objetivo do estudo é selecionar bactérias probióticas para peixes de água doce, isoladas de material mucoso de intestino e pele de tilápia. Esta é uma nova linha de pesquisa em desenvolvimento de produtos que foi implantada no Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Peixes Ornamentais do Instituto de Pesca (IP-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

De acordo com o engenheiro de pesca de Maripá Cleiton Manske, o probiótico é um aditivo alimentar composto de microrganismos vivos que beneficiam a saúde do peixe, por meio do equilíbrio da microbiota intestinal. “Os resultados desta pesquisa, quando finalizada, poderá também ser de grande valia para os piscicultores maripaenses, no que diz respeito à melhora na saúde do peixe”, explica.

As bactérias selecionadas serão aquelas que mostrarem efeitos positivos na capacidade de adesão, de colonização e de multiplicação no muco da pele e do intestino, de sobrevivência na presença de bílis e de inibir os microrganismos patogênicos por meio de substâncias antimicrobianas. Com as possíveis bactérias probióticas serão realizados testes para definir aquela que apresente capacidade de proporcionar melhor desempenho zootécnico e melhora do sistema imune de tilápia, confirmando, assim, sua aplicabilidade na aquicultura.

Da Assessoria