Notícia

Jornal de Valinhos

Instituto Butantan testa vacina contra dengue

Publicado em 06 junho 2008

O Instituto Butantan acelerou os ensaios para a primeira vacina mundial contra a doença e anunciou na terça-feira, dia 3, que os teste em humanos da imunização começam no ano que vem e que as doses devem estar prontas para serem aplicadas na população já em 2010.

A aceleração do processo deu-se pelos altos números da dengue registrados nos últimos anos. o Brasil fechou 2007 com 559,9 mil casos, o estado de São Paulo com 82 mil, todos os números recordes. No início de 2008, mais uma situação de epidemia, desta vez no Rio de Janeiro: 109 mortes confirmadas e 150 mil registros, e que mobilizou os pesquisadores do Butantan.

Segundo o presidente do Butantan, Isaias Raw, as reuniões entre o instituto e os parceiros internacionais, Instituto de Saúde Pública  dos Estados Unidos e Fundação Path, criada pelo empresário Bill Gates, vão definir em quais locais a vacina será testada em humanos. “O cenário ideal é que os ensaios clínicos sejam feitos no Brasil, mas também em outro país que tenha o histórico de dengue. Isso porque por aqui não há circulação do vírus tipo 4, por exemplo, e, além disso, existem outras nações que já possuem um embasamento teórico sobre a dengue, mais avançado do que os dados brasileiro”, explicou o presidente do instituto.

Coordenadas

Raw ressalta que, apesar da experiência desde 1984 na produção de vacinas, no Brasil não há estudos científicos abrangentes sobre os períodos mais propícios para a transmissão da dengue, a idade média dos infestados e os locais mais específicos de contaminação. “Como os teste são feitos em voluntários precisamos ter clareza nas informações teóricas, para  que não haja desperdicio de quem se candidatar para o teste”.

Toda a técnica para a produção da imunização será do Instituto Butantan. O otimismo de Raw e Francis decorre do fato de os teste em ratos e macacos já terem registrado 100% de eficácia. “Testamos também, de forma preliminar, em 20 pessoas, todas jovens e moradoras dos Estados Unidos, e os resultados foram positivos: elas produziram anticorpos contra a doença”, disse Raw.

Para a primeira fase de testes da nova vacina, serão investidos R$ 20 milhões, com recursos estrangeiros, do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Esrtado de São Paulo).