Notícia

Jornal da Unesp

Instituto atrai estrangeiros

Publicado em 01 julho 2014

Por Ricardo Schinaider de Aguiar

Em janeiro, o ICTP-SAIFR recebeu bolsas da Simons Foundation – instituição norte-americana que promove pesquisa em ciência básica e matemática pelo mundo – para a criação de duas novas posições temporárias no centro sul-americano de física sediado no IFT/UNESP. Os candidatos foram escolhidos por um comitê internacional de busca por meio de um rigoroso processo de seleção envolvendo entrevistas e análise de currículo. Eles receberão uma bolsa por três anos e desenvolverão seus projetos de pesquisa, podendo ser efetivados via concurso tradicional. A posição, que será conhecida como Pesquisador Visitante Simons-Fapesp, é similar à conhecida internacionalmente como tenure-track.

“A iniciativa de criar essas posições temporárias partiu do ICTP-SAIFR”, diz Nathan Berkovits, diretor do ICTP-SAIFR e físico do IFT/UNESP. “Com esse sistema, é possível contratar pesquisadores de outras áreas e de outros países, e ter tempo para conhecê-los antes de contratá-los para posições permanentes.”

INTERNACIONALIZAÇÃO

As vagas atraíram candidatos estrangeiros de importantes centros de pesquisa do mundo e podem contribuir para a internacionalização da universidade. Um dos candidatos selecionados é Fabio Iocco, que virá do Instituto de Física Teórica da Universidade Autônoma de Madrid. Para o pesquisador, o sistema de contratação proposto pelo ICTP-SAIFR é vantajoso para a universidade. “Desse modo, é possível ver o candidato em ação e avaliá-lo enquanto trabalha, em vez de apenas ver seu currículo”, diz Iocco.

A outra posição será preenchida por Rafael Porto, hoje na Universidade de Princeton. “Em universidades de outros países, não há um número significativo de professores brasileiros”, diz ele. “Porém, o Brasil possui pesquisadores de qualidade em todos os campos da ciência e o ICTP-SAIFR é uma tentativa de levar o país, e a América do Sul, para um outro nível de pesquisa básica no cenário internacional.”

Ambos chegarão ao Brasil nos próximos meses e desenvolverão estudos relacionados a astrofísica e cosmologia, áreas nas quais há poucos pesquisadores no IFT/UNESP. “Ao longo dos próximos anos, vou me concentrar na determinação da distribuição de matéria escura em nossa galáxia através de observações astrofísicas”, diz Iocco. Já Porto estudará a cosmologia sob a perspectiva da Teoria de Campos Efetiva (EFT, do inglês Effective Field Theory). Ele buscará compreender a estrutura do início do universo e a evolução da matéria escura.